31.12.14

Mesa posta, comida pronta, cozinha arrumada e champagne gelada.
Só mais um minutinhos, tempo para um bom banho e 2015 já pode chegar!
Minha cheesecake com calda de frutas vermelhas ficou linda...e espero que esteja gostosa também.
É primeira vez que faço, se der certo compartilho a receita.
Para quem não é muito fã tem quindim.
2014 foi um ano corrido, mas nem por isso ruim.
Também não foi sensacional e, honestamente, nem precisou ser.
Termino o ano agradecendo, principalmente, todo o amor e carinho recebidos,
Um lindo ano novo para todos!!!



 

28.12.14

Eu tô achando até que bom trabalhar amanhã...assim dou uma pausa para o meu fígado....
E a culpa é da seca que nos proporcionou um cajueiro carregado!
Fora as castanhas que estou separando para torrar, tem cajú para fazer em calda e ainda assim ainda sobra muito para fazer batida/caipirinha com vodka, afinal tenho que reverenciar meus antepassados, né?
Não vejo maneira melhor do que misturando cajú com açucar, gelo e Stoli.
Um brinde à vida!




27.12.14

Não podia terminar o ano de melhor forma, dormindo sem pressa de acordar!



“Tudo o que dorme é criança de novo. Talvez porque no sono não se possa fazer mal, e se não se dá conta da vida, o maior criminoso, o mais fechado egoísta, é sagrado, por uma magia natural, enquanto dorme.”  Fernando Pessoa

O quadro é do pintor espanhol Vicente Romero.

25.12.14

Gosto do modo como alguns artistas pegam temas aparentemente comuns e os transformam em peças prá lá de interessantes.
Sinal de que há mesmo poesia em tudo!

24.12.14

Como o discurso não difere da ação, é num ambiente de paz e tranquilidade que aproveito para agradecer todos os que estiveram presentes em minha vida neste ano que está terminando.
Obrigada também pelo carinho, paciência e atenção!
Não acredito que Jesus fosse chegado em carregar sacolas de presentes e sim que ele gostasse mesmo é de estar entre amigos.
Que a data seja de reflexão e amor, muito amor!


Ah...e amigos que vierem me visitar neste final de ano levarão para casa um potinho de geléia de tamarindo.No começo de dezembro colhemos uma sacola deles.Hoje resolvi descascá-los e transformá-los em geléia.Não imaginei que rendesse tanto...agora tenho 15 potinhos de geléia na geladeira...

23.12.14

"Talvez amadurecer seja deixar ir embora o que já tivemos medo de perder."
Achei tão eu neste momento...

22.12.14

Sua voz embalou muitos romances, bailinhos, namoricos no banco do carro...numa época em que isto era possível!


Tem dias em que aqueles tempos fazem falta...o mundo tornou-se mais moderno, mais tecnológico...mas talvez um tanto menos romântico.
E a gente sobrevive assim mesmo...

21.12.14

Quem bem me conhece me dá flores, livros e música de presente.
Não porque é época de Natal, aniversário ou outra data qualquer e sim porque quer, uma vez que não me importo com datas e gosto muito de manifestações de carinho.
Assim sendo, nos últimos dias ganhei flores. Uma caixa, uma enorme caixa com 8 vasos, de Phalaenopsis, todas brancas, porque eu adoro flores brancas.


E também o livro: Chega de Saudade, do Ruy Castro.
Estou nas primeiras páginas e já estou amando...ele faz uma retrospectiva da boêmia carioca nos tempos da bossa nova. Reconstitui uma época bem diferente da atual e cita compositores, cantores e artistas que eu nem ouvi falar e outros que estão perdidos em algum lugar da memória. Cita também aqueles que fizeram sucesso antes da bossa nova, é uma aula de história da música brasileira.
Foi assim que encontrei lá no fundo do baú esta valsinha do Zequinha de Abreu:


Presente assim é bom demais, né?

18.12.14

No jantar hoje tivemos peixe assado com uma saladinha refrescante...e a sobremesa: castanhas portuguesas!!!
Depois de uma semana de gripe intensa e de uma alimentação prá lá de desregrada eu merecia algo assim.
Saudável e reconfortante.
Cozinhar é relaxar...principalmente depois de pegar uma Anhanguera lotada, com trânsito lento, alguns consertos e um tanto de carros quebrados.
E já sei o que vou fazer com as castanhas cozidas que sobraram: amanhã vou colocá-las numa calda de açucar com rum.
Hoje não dá, pifei...

 

16.12.14

Bom dia!!!
Que o dia seja doce e na medida certa...



Meu final de ano têm sido bem mais leve do que nos anos anteriores, não foi o mundo ao meu redor que mudou, fui eu.
Consegui finalmente matar em mim algumas coisas que lá no fundo não me faziam bem.
Sempre tão nostálgica eu acabava ficando meio presa à tudo.
Quando percebi que podia acertar as arestas e encerrar alguns ciclos e que nada de ruim me aconteceria, eu me esbaldei!!!
Hoje as pessoas, os acontecimentos, as instituições, enfim, o mundo todo ao meu redor, recebe de mim exatamente o que merece, simples assim..

14.12.14

Outro dia foi o segundo movimento do Concerto do Rachmaninoff, hoje vai o terceiro:


Só porque é bom demais...
Ontem não pude ir ao jogo de encerramento de ano do meu filho porque estou muito gripada.
Acabei de descobrir que não estou gripada e sim resfriada.E desde a última quarta feira, ou seja, até o final da próxima semana devo estar bem outra vez.
Nem é tão ruim assim porque não tenho febre nem dor no corpo, mas passo 100% do tempo com o nariz entupido e falando tudo de uma maneira bem característica, na língua do B e do D.
Ontem passei o dia bem quietinha em casa e fiz até uma sopa creme de legumes, que tomei com pimenta jiquitaia (pó composto de aproximadamente 12 tipos de pimentas) que veio lá de São Gabriel da Cachoeira/AM.
Dizem que ela opera milagres:
É rica em vitaminas A, B, C, E e K, cálcio, manganês e potássio.
Possui alta concentração de beta-carotenos.
É anti-séptica e analgésica – conhecida como aspirina natural.
Como tem propriedades vasodilatadoras ajuda a regularizar pressão arterial.
Diminui as dores da artrite, artrose, osteoartrite, arteriosclerose e reumatismo ( aplicar compressas nas articulações comprometidas).
Previne ataques cardíacos e embolias pulmonares.


12.12.14

No meio do dia eu lá trabalhando, perdida em uma pilha de relatórios, abro a caixa de e-mails e leio: instruções para matrícula.
Como assim, que matrícula? Abro a mensagem e quase desmaio de emoção!
Parabéns, você foi classificado para o curso de Ciências Econômicas.
Eu havia esquecido que hoje saía o resultado do vestibular do meu filho...ele mal saiu do colegial, suas aulas acabam na semana que vem e ele já entrou na faculdade, e de Economia.
Eu pensei que não fosse me importar muito, mas já chorei tanto de emoção que hoje o nível do Rio Atibaia sobe!!!
Prá conter minha empolgação, e conseguir dormir, somente muito Rachmaninoff mesmo:

10.12.14

Eu pedi, pedi, pedi e a chuva chegou!!!
Vem para lavar minha alma, feliz também com o sucesso das fotos do festival de dança e encharcar a terra sedenta.
O ano está acabando e finalmente ando colhendo bons frutos.
Sou grata!


 

7.12.14

O dia está nublado e espero que chova, o tempo está muito abafado.
Não tem coisa melhor do que dormir com chuva.
Só não teremos a companhia do luar, mas não tem importância, preenchemos o vazio com a música do Paco de Lucia:

Um dos meus filmes antigos favoritos com uma música que amo de paixão.



Sempre gostei de filmes/livros que questionam o papel social e moral da Igreja.

O Crime do Padre Amaro
O Pagador de Promessas
Irmão Sol Irmã Lua
O Nome da Rosa
Pássaros Feridos
A Missão
Lutero

Mas "Narciso Negro" é o meu queridinho...é a temática, são os atores, os sons, a direção, a dramaticidade, gosto dele de uma forma geral.
Gosto de como as freiras reagem ao código de conduta rigoroso da Igreja, vivendo numa realidade bem diferente daquela à qual estão acostumadas.

6.12.14

Eu não gosto de Natal como data comercial.
Como também não gosto da correria de final de ano como se o mundo fosse acabar no dia 31/12.
Não tem coisa pior do que aquelas pessoas que resolvem ficar "boazinhas" nesta época e depois de 2 de janeiro voltam a ser o que sempre foram.
Considero a data interessante para uma reflexão pessoal:
Somos, além do que os outros desejam, a pessoa que realmente desejamos ser?
Tenho meus defeitos mas ando bem satisfeita comigo.
Não somente para o próximo ano, mas para a vida toda, preciso rever alguns hábitos e deixar para lá algumas manias.
No geral tenho me sentido mais leve e talvez esteja começando a me conformar que algumas coisas estão além da nossa compreensão e por isso não podemos alterá-las.
É melhor deixar certas coisas como estão ou como são!
Se algo tiver que mudar, que seja eu.
Porque o que der para doar, doamos, e aquilo que não nos faz bem, prô lixo direto!



  

2.12.14

Fiquei sabendo que na próxima segunda feira teremos um feriado municipal.
Comemorei com entusiasmo!!!
Afinal, os últimos dias foram corridinhos, corridinhos...trabalho, trabalho, arte, música, trabalho, aniversários, cães, gatos e cães outra vez.
Domingo, logo cedo, ia tudo bem até eu sair para buscar o bolo de aniversário do meu pai.Quando abri o portão nosso dog mais novo correu para a rua e passou por baixo do carro do vizinho, que também estava saindo.
Verdade que o vizinho ficou meio em choque e eu até que tranquila pois vi que ele passou e saiu do outro lado, meio tortinho, mas vivo e pisando com três patas e meia.
Não tive dúvidas, abri a porta do carro e ele pulou, ainda um tanto zonzo, para dentro.
Peguei o bolo e voltei prá casa.
Examinei o cachorro (na prática ilegal da veterinária) e parecia estar tudo bem.Algumas gotas de novalgina, uns curativos e muita rifocina nas escoriações e um comprimido de anti inflamatório.Deixei-o deitadinho, quietinho e fui para o almoço do meu pai.
Domingo à noite e o cãozinho continuava amuado.Será que eu tinha errado o diagnóstico?
Mal dormi de preocupação.
Segunda feira repeti toda a operação - gotas, curativos e comprimido e fui trabalhar!
Minha surpresa foi encontrá-lo na volta todo feliz e até saltitante.
Tinha dado tudo certo e finalmente ele voltou ao normal...todo ralado e correndo de um lado para o outro...
Logo mais minha vida volta à normalidade também com a chegada do cara metade que desde ontem cedo está retornando da selva, algo próximo à Porto Trombetas...

29.11.14

Ah...os amores antigos...como abrir mão deles???
Tenho uma máquina velhinha e bem ultrapassada, mas levo-a sempre como reserva embora tenha pouquíssimos recursos.É aquela coisa do encantamento...para os outros ela pode ser uma porcaria, mas para mim ela é o máximo.
Apesar do ISO baixo, sem opções de grandes ajustes, ela ainda me surpreende.
Nada como manter um antigo amor.



Ontem fotografei das 17 às 22h e depois saí para comer alguma coisa com meu filho que tinha que acordar hoje às sete da madrugada para prestar vestibular.
Até aí tudo bem, na verdade, excelente!!!
Quando chegamos em casa, ao soar das doze badaladas, com aquele vento todo dos morros uivantes, encontramos dois dos nossos cachorros de bigodes amarelos.Quem mora no meio do mato sabe bem o que isto significa: eles pegaram um porco espinho!
Munida de alicate, spray antisséptico e anti inflamatório, finalmente, depois de mais de uma hora eles estavam livres dos espinhos.Um deles pegou só no focinho, já o outro tinha desde a boca até a lateral do pescoço.Só da pata esquerda dele tirei 15.
Foi um bom trabalho em conjunto!
Depois de relaxante banho caí na cama e apaguei.


      

28.11.14

Testando a máquina para mais tarde...imagem sem retoques.


27.11.14

 冬 の 夢 (Sonho de inverno)

Acho que sempre sonho com dias de inverno...


Faixa extra:

Prá melhorar, naqueles dias em que você chega em casa com os pés cansados, nada como tirar os sapatos e escutar um pouco de Joe Hisaishi antes de fazer qualquer outra coisa!



Já o filme "A Partida", que é lindo de viver, é outra história.
É daqueles que a gente assiste sozinha, na penumbra, enrolada no edredon prá deixar as lágrimas de emoção escorrerem à vontade.
Sabe, pensando cá com meus botões e talvez nem fugindo tanto assim da temática do filme que aborda os relacionamentos, não sou pessoa fácil de se lidar.
Apesar de muito comunicativa mantenho-me sempre reservada.
Difícil me queixar dos meus problemas, aqueles sérios de verdade.Também não insisto...sinto saudades mas não procuro.Aí talvez seja a minha educação.Nos dias de hoje vivemos apressados e sem tempo, talvez as pessoas não se falem e muito menos se abracem mais, primeiro, pela falta de tempo e depois porque perdeu-se o costume.
Eu aceno, dou sinais, tento, mas não insisto.E é sem insistir que gratos encontros acontecem.Hoje mesmo dei uma escapadinha na hora do almoço para um almoço reconfortante, aquele aonde abundam abraços gostosos e gargalhadas espontâneas.Acabamos nos comovendo com algumas lembranças.Teve até choro e muita emoção, mas a alma estava leve!
E depois, com o passar dos anos, é isto que fica...  

26.11.14

Já desisti, não vou aprender é nunca a ficar quieta no meu canto...
O cara metade viajando, eu bem que podia tirar a noite de sexta e de sábado para ler um livro, assistir um filme, remexer nas gavetas...mas não, fui arrumar trabalho!
Sou uma das fotógrafas de um espetáculo de dança...eu sei, sou roteirista...mas a bailarina responsável pelo festival me perguntou se eu poderia fazer umas fotos "poéticas" e eu disse sim, na verdade foi meu ego, aquele alucinado, que respondeu por mim.
São só 30 bailarinas...
Não sei no que vai dar mas com certeza confiam mais no meu talento do que eu...
Fotografo por hobby e por paixão, e pensando bem, acredito que no final vai dar certo!
Sou uma ostra às avessas, amo ficar em casa, mas no primeiro aceno saio da concha feliz e saltitante e vou prá rua.
Incorrigível, isso sim!


25.11.14

Adorei esta:


Um excelente dia prá todos aqueles que acordaram de bom humor hoje!
Para os mais mal humorados, um dia alucinante...
Eu sempre acordo de bom humor, pois não tem nada que me revigore mais que uma noite de sono, e nem precisa ser das melhores.Nem precisa ser uma noite toda, umas 3 ou 4 horas já me deixam nova.  

24.11.14

O que eu gosto em "Lost in Translation"!?
TUDO.
Pesadelo ninguém merece...mais ainda quando a cama está vazia...
Aí o jeito é levantar, tomar um expresso e vir escutar umas músicas enquanto o dia amanhece preguiçoso:


23.11.14

Assim falou Zaratus.....quero dizer, Maiakovski:

“nos demais
 – eu sei, qualquer um o sabe –
o coração tem domicílio no peito.
Comigo a anatomia ficou louca.
sou todo coração
– em todas as partes palpita.”

E também:

LÍLITCHKA!
Em Lugar de Uma Carta (Petrogrado, 1916)


"De qualquer forma o meu amor
- duro fardo por certo -
pesará sobre ti
onde quer que te encontres.
Deixa que o fel da mágoa ressentida
num último grito estronde.

Quando um boi está morto de trabalho
ele se vai e se deita na água fria.
Afora o teu amor para mim não há mar,
e a dor do teu amor
nem a lágrima alivia.

Quando o elefante cansado quer repouso
ele jaz como um rei na areia ardente.
Afora o teu amor para mim não há sol,
e eu não sei onde estás e com quem.

Se ela assim torturasse um poeta,
ele trocaria sua amada
por dinheiro e glória,
mas a mim nenhum som me importa
afora o som do teu nome que eu adoro.

E não me lançarei no abismo,
e não beberei veneno,
e não poderei apertar na têmpora o gatilho.
Afora o teu olhar nenhuma lâmina
me atrai com seu brilho.

Amanhã esquecerás que eu te pus num pedestal,
que incendiei de amor uma alma livre,
e os dias vãos – rodopiante carnaval -
dispersarão as folhas dos meus livros…

Acaso as folhas secas destes versos
far-te-ão parar, respiração opressa?
 Deixa-me ao menos arrelvar
numa última carícia
teu passo que se apressa."


22.11.14

Sou fã do Nando Reis, principalmente como letrista/compositor!



Aqui você encontra uma lista com quase todas as músicas que escreveu.

Escutando a música Mantra me lembrei com saudade de um restaurante natural que eu frequentava na época da faculdade.Era dirigido pelo movimento Hare Krishna, eu me sentia muito bem lá.Eram todos muitos gentis, o ambiente era calmo, tranquilo e a comida maravilhosa.Acho que era a forma como preparavam os alimentos, com amor e sobretudo respeito, afinal o alimento é sagrado.
A cidade não os acolheu muito bem, havia muito preconceito, as famílias mais conservadoras achavam que eles fariam lavagem cerebral em seus filhos.Acabaram se mudando...
Foi meu primeiro contato com o hinduísmo e sou muito grata por isso.

Acho que nunca confessei, mas adoro croissants e só me permito comê-los quando viajo.
Talvez passe a gostar ainda mais deles a cada viagem justamente porque é um sabor associado a boas e inesquecíveis lembranças.
Nunca tentei fazê-los em casa porque levam muita manteiga e acredito que o que os olhos não vêem o coração não sente.
Um amigo certa vez me trouxe um pacote de croissants congelados para terminar de assar no forno elétrico, coisa dos deuses.Nem perguntei aonde comprou para não cair em tentação, pois sei que não resisto.
Assim como não resisto a água gelada, pão de queijo, abraço apertado e beijo sincero!

21.11.14

Estou sem auxiliar do lar há mais de duas semanas. Prá quem mora sozinho é mais fácil, apartamento também.Mas prá quem trabalha o dia todo e ainda divide a casa com marido, um filho adolescente, três cachorros e três gatas fica um pouco puxado.
Hoje, meio de feriado para muitos, finalmente encontrei uma senhora com dia livre para faxina.
Estávamos nos dividindo bem na tarefa, mas uma ajuda extra especializada cai muito bem.Juro que não dou conta...
E só ficando sozinha para descobrir que a secadora e o aspirador estavam queimados, que metade das suas coisas estão batidas, amassadas, descoradas ou trincadas, sem falar nos refratários, todos lascados.
Algumas coisas me intrigam muito, aonde vão parar os pés das meia sem par, os potes que fazem conjunto com inúmeras tampas solitárias e as facas dos jogos de talher???
Já que a casa está ficando limpíssima, amanhã e depois arrumarei os armários e gavetas.Vou começar com as toalhas de banho e lençóis, afinal são compradas em jogos e espero juntá-los todos em dois dias.Trabalho mais que lúdico!!!


   

20.11.14

Alguém já escreveu:
"Nunca tive outra idade senão a do coração."
E assim envelhecemos...algumas presenças vão arrastando-se pela caminho até desaparecerem por completo, como as folhas caídas no outono.
Já outras fincam raízes profundas em nosso coração e assim os anos passam e cá estão elas, cada ano mais presentes.
Que a idade venha e que o tempo passe para que esta árvore fique cada dia mais forte!

17.11.14

Começando a semana com as palavras da Martha Medeiros

"Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante.
Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam.
Então? Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você.
Isso tem nome.(...)"



16.11.14

Eu falei de boas energias, beijinhos e abraços...mas nada como muito charme para fechar o domingo!!!

Depois de uma reunião com o lado sombrio da força, na sexta feira, tive a certeza que algumas pessoas não vão gostar de mim mesmo que neve por aqui no próximo Natal.
É incrível como a energia negativa dos outros acaba nos afetando.Cheguei em casa quase morta de cansaço, mas como era aniversário do meu filho tratei de ficar nova em folha.Depois dormi tanto que perdi a hora no sábado, quando olhei no relógio era quase meio dia e eu tinha um almoço marcado para a uma da tarde.Peguei trânsito e cheguei levemente atrasada, mas estava tudo tão agradável, a companhia, o clima e o bate papo, que ninguém se importou.
O que importa são as pessoas de bem que estão ao nosso lado, aquela troca de boas energias num abraço sincero.Esta é a verdadeira energia que me restaura o espírito!
E eu adoro beijinhos e abraços...


15.11.14

Me diz se eu posso com uma carinha assim?


Ele adora fazer esta expressão de que não é com ele...principalmente depois que fez alguma arte.É um mestre em arrastar coisas para fora de casa, sorrateiramente. Outro dia encontrei um travesseiro na soleira da porta.O gosto dele é bem diversificado, inclui roupas, calçados, vidros de perfumes, frascos de shampoo, sacolinhas plásticas, canetas, pincéis e etc.
E ainda por cima é ciumento....

10.11.14

Eu vejo beleza em praticamente tudo.
Os mais realistas dizem que isto irrita.Vamos deixá-los prá lá!
E quanto mais natural, mais belo.
Amo a pele, os poros, as íris que envolvem as pupilas, ar curvas, as marcas de expressão e até mesmo algumas cicatrizes. Talvez porque tenha o costume de olhar tudo muito de perto. E quando nos aproximamos dos objetos, animais, plantas ou pessoas e passamos a observá-los mais atentamente descobrimos maravilhas que muitos nunca perceberão, somente porque não prestam atenção.
Acho que já nasci atenta!







9.11.14

Não resisti e escutei o Concerto todo!!!





Quando escuto esta música tenho a certeza que a felicidade mora em mim.
Me encanto com meu próprio deslumbramento diante das coisas novas que descubro a cada viagem.Ontem à noite, revendo algumas fotografias, pude percorrer os caminhos por onde andei e constatei que os que mais gosto são aqueles que atravessei sozinha.No meu raro silêncio, afinal falo pelos cotovelos, pude apreciar e incorporar-me aos lugares.
E foi no silêncio que chorei a perda de quem eu tanto amava, como também não contive a alegria de ter meu filho em meus braços pela primeira vez.Isso sem falar que meu coração quase explodiu de emoção depois daquele beijo.E teve também o prazer de dirigir numa estrada, sozinha, tentando administrar a sensação de independência.Algo parecido com o que senti quando voei sozinha.Ao meu lado somente uma velhinha que se entupiu de comprimidos e dormiu o voo todo. O primeiro castelo que conheci na vida foi em Toledo, na Espanha. Me deslumbrei, principalmente, com aquelas pontes e portas.E fiz questão de tocar tudo o que podia ser tocado e nestes preciosos momentos lá estavam eu e a história, unidos de uma forma muito peculiar.Meu silêncio é rico de experiências fantásticas!
Não digo que não preciso dos outros porque na verdade amo ter companhia, seria muito sem graça viver sozinha.A vida me deu um profundo entendimento sobre a alma humana e suas variáveis.Gosto de vê-las indo e vindo, perdidas em suas próprias histórias, muitas delas tão mal resolvidas.Percebo que nem preciso que caiam as máscaras, afinal já conto com a presença constante delas.
Tento dizer que a felicidade reside em nós e não no outro, mas em vão.
Vejo o quanto aprendi tentando aqui e alí.
Destas muitas lições criei minha força interior e sou imensamente grata!
E talvez, por essas e outras, é que as pessoas que convivem comigo se sintam tão bem ao meu lado, quando eu não disparo a tagarelar sem parar...


8.11.14

Eu bem que queria um dia frio, um bom lugar para ler um livro e o pensamento lá em você....pára tudo, melhor ficarmos só com o livro.Quando penso na fragilidade que é muito peculiar a alma feminina, vejo o quanto crescemos, nem tanto na dor, mas principalmente na saudade.
É nela que, primorosamente, se encaixa a falta.
Desde bem criança, nos meus piores momentos, lá estava eu e eu mesma.Nunca tive alguém que me segurasse na mão e atravessasse a tempestade comigo.Nos pesadelos o conforto só aparecia depois, ao acordar.Quando precisei ser operada, na sala fria de cirurgia eram médicos e estranhos que me faziam companhia.No acidente que sofri não havia viva alma ao redor.Meio tonta e com um corte na testa peguei minhas coisas e saí caminhando por quase um quilômetro até poder pedir ajuda.Nas minhas angústias, nos meus medos, estou sempre sozinha.
E acredito que seja assim com todo mundo!
Aquela sua queixa mais escondida ninguém conhece, aí você apela para o recurso da saudade, na ilusão de que determinada pessoa efetivamente faria alguma diferença.
(Precisarei nascer de novo para acredita nisso.)
O resto é ficção, romance, novela, roteiros escritos por quem deseja esta proximidade utópica.
Mas continuo amando um bom romance ou uma saudade bem cantada...e algumas vezes até me iludindo...

5.11.14

"Só amei o que tinha fim e tudo o que amei se eternizou."
Mia Couto

Lindo isso, né?
Fernando, na pessoa de Álvaro de Campos, dizia que tinha em si todos os sonhos do mundo.
Já eu, tenho sonhos sim, mas nem tantos.
Muito do que tenho são mesmo lembranças.
E por causa delas que posso dizer que amo os dias com chuva!


Assim como as aquarelas.
Guardo com carinho uma especial, pintura em seda retratando o portão de ferro da entrada, aparentemente lateral, de uma casa em estilo colonial.O portão é bem definido em preto, parece nanquim.O restante da imagem é em tons pastéis, bem suaves e puxados para o cor de rosa.
Não sei como a tinta preta não escorreu pelo tecido fino.O artista deve ter utilizado alguma técnica que desconheço.
O quadro, não muito grande, está na minha mãe, desde quando o ganhei.
Acho que fica bem lá!
Algumas vezes, quando estou meio chateada, penso nele.
Ele me traz paz.

2.11.14

Não custa nada...talvez o custo do envio...
.

O dia nasceu tão bonito hoje que não consegui mais dormir.

31.10.14

Sobrevivi...a última semana foi insana...teve dias em que o volume de informações processadas foi tanto que no final do dia eu já não conseguia juntar lé com cré.
Planilhas, números, projetos, cópias, orçamentos e somas para alguém que sempre foi da área de humanas é pedir um pouco demais, mas eu consegui.
Além do trabalho alucinante minha geladeira pifou em plena terça feira e o técnico só pode vir em casa no final da quinta.
Hoje, aparentemente, tudo voltou a sua normalidade habitual.
Por tanto, nada melhor que aproveitar a data e liberar a bruxa que há em mim!!!


Permita-se e tenha um excelente final de semana!!!


Com um pouco mais de intensidade:

27.10.14


Que a palavra de honra desta nova velha fase que o país irá enfrentar seja HONESTIDADE, ampla, geral e irrestrita.

18.10.14

Numa rápida análise, não é de férias que preciso e sim de um pouco de silêncio.
Aquele absoluto onde não escutamos som algum, nem ninguém.
No dia a dia fica difícil, é preciso um grau de desligamento muito elevado, mas vou tentar!
Pois já dizia o poeta grego Eurípedes, há mais de 400 anos A.C., que:
"O silêncio é a verdadeira sabedoria e a melhor resposta".


Sebastião Salgado me conquistou, primeiramente, com as imagens e depois vieram as palavras mágicas que me ensinam a ser um ser humano melhor na tentativa de compreensão e de uma maior interação com o mundo que me rodeia.

16.10.14

Acabo me divertindo com a disputa política...e a forma como as pessoas entram nas "conversas" ainda me surpreende.Nunca votei no Alckmin, no FHC sim, mas tentar culpar um partido político pela falta de água em São Paulo é um pouco de exagero.Temos problemas de planejamento em todos os Estados e em todas as esferas políticas e administrativas e não é de agora.A população não economiza mesmo, nem os empresários e muito menos as prefeituras.Eu não lavo carro, calçada e nem tomo banho de meia hora há muito tempo.E historicamente enfrentamos um calor anormal.
Vivemos numa biosfera, aonde todos os sistemas são interligados.Como seres modernos e civilizados não sabemos mais viver na natureza sem os recursos de adaptação criados por nós mesmos, como automóveis, energia elétrica, fogão, geladeira e etc.O avanço da ocupação urbana está relacionado diretamente com a degradação da biosfera.
E a coisa tende a piorar nos próximos dias pois a grande massa de calor que atinge as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverá intensificar-se.

13.10.14

Tem gente que tem borboletas no estômago, outros na janela, eu tenho ao alcance do meu olhar!!!



11.10.14

Nada como um lindo dia, sol, sorrisos, muita água e contato com a natureza para limpar a mente a aguçar a criatividade.Ao som da trilha de Yann Tiersen terminei minha proposta de direção.E está tudo pronto para quarta feira!!!

O dia está tão lindo que caí da cama cedinho!!!
Depois de um café preguiçoso terminei minhas últimas anotações para o roteiro/proposta de direção que preciso entregar na quarta feira.
Buscando referências estéticas, me perdi entre músicas.
Entre uma e outra encontrei esta aqui:



Além da música descobri uma excelente referência estética para minha "Alice".
God only knows lá lá lá lá lá lá.....

8.10.14

Hoje foi o exame de direção do meu filho.
Quando ele me ligou e disse "Mãe, passei!" eu chorei de alegria.
Se bem que sou o tipo de pessoa que quase não chora de tristeza, mas inunda um oceano de felicidade.
Me emocionei e não contendo tanta emoção, chorei de orgulho. Meu filho foi e fez.Depois de escutar de muitas pessoas que era bobagem passar pelo longo processo de se tirar carteira de motorista:"É só pagar que a carteira chega em 30, 40 dias."
Demorou, é verdade. Mas como pode, minha gente? Trapacear no exame de auto escola? E a responsabilidade, como fica?
Depois reclamam da corrupção e dos nossos políticos.
Não posso, por motivo algum, ser conivente com um sistema corrupto, descaradamente prostituído.
Ando cansada de gente que não age conforme o discurso e ando ignorando-os!!!


7.10.14

Taí um lugar que conheci e amei, mas não voltaria.
Nunca será como antes, afinal eu tinha vinte e poucos anos e quase nenhum comprometimento.
Não só eu mudei, a cidade também.
Quero manter na memória a versão que tem tocando ao fundo a música de Gershwin.

5.10.14

A idade avança e a máquina já não funciona como deveria...o vinho de ontem me deixou com dor nas articulações hoje.Mas não o suficiente para me deixar dentro de casa.
Depois de votarmos fui almoçar na minha mãe.E vou dizer uma coisa comida de mãe é comida que acolhe, que faz carinho, que cura o corpo e o espírito.Voltei com tempo e disposição para arrumar umas coisinhas na casa e depois assistir o início das apurações das eleições.
Agora vou alimentar a alma através dos ouvidos (dica do querido amigo Manuel):

4.10.14

Ai, ai, ai...amanhã temos que votar!!!!!!!
Eu, como a grande maioria, quero mudanças.Quero dar espaço ao novo, mas quanto mais estudo o perfil dos candidatos, mais reflito e concluo que meu candidato morreu no dia 13 de agosto.
Sei que meu voto só será decidido no último minuto do segundo tempo da prorrogação e mesmo assim não será a expressão verdadeira da minha vontade.
Enfim é o que temos...só sei que ando cansada de radicalismos.
Deixo um aqui um texto do Moysés Pinto Neto para reflexão.
E também umas musiquinhas para relaxar, pois ninguém é de ferro...a semana que passou não foi nada fácil e duas vezes tive vontade chorar, de raiva! Algumas coisas simplesmente me escaparam pelas mãos por excesso de confiança no trabalho dos outros.É a mania de achar que as pessoas que trabalham do seu lado são honestas como você...



29.9.14

O sabor da pitanga se espalhando pela boca tem gosto de lembrança gostosa.
Estão servidos? Foram colhidas agorinha...


28.9.14

Ao invés de escrever, fui prá rua e acabei trazendo mais um cãozinho prá casa!!!
Já vacinado e com 90 dias.
E com aval da família inteira...não tem coisa melhor.
Incorrigível é apelido, acho que faço isso desde que me entendo por gente.
Depois eu digo que não é fácil conviver comigo e tem ainda quem não acredite.
O roteiro não saiu, mas eu tô feliz pacas.


27.9.14

Tenho que escrever um roteiro de direção e estou com uma preguiça monstra.Sinto muito mas vou deixar prá amanhã.Tem dias em que as coisas ficam presas dentro da mente e não saem nem por decreto.
Tive uma semana de muito trabalho e do tipo estressante.Nem o poker de ontem à noite, aonde fiz uma quadra de quatros e outra de noves, me deixou mais relaxada.


Já sei, vou prá cozinha preparar pãezinhos de semolina enrolados com presunto e queijo.
A massa leva basicamente 1 ovo bem batido, meio copo de azeite, 1kg de semolina, 500 gr de farinha de trigo, 30gr de fermento biológico fresco, água morna, sal e açucar.
Uma delícia para comer nas manhã de domingo!!!

24.9.14

Frangipani ou jasmim manga é uma pluméria descoberta pelo botânico francês Charles Plumier.
Amo todas as variações sobre o mesmo tema, são mais de 300 espécies distribuídas pelo planeta.
No Sudeste Asiático acredita-se que protege contra fantasmas e demônios, costumam ser plantadas em cemitérios e fazem parte de rituais em templos budistas e hindus.
No Japão é conhecida como Pagoda Tree, fazendo referência aos templos, principalmente, budistas.
Em muitas ilhas do Pacífico são usadas para fazer colares de flores. Na moderna cultura polinésia se uma mulher usa a flor do Frangipani na orelha direita significa que é descompromissada e se a usa na esquerda que é comprometida.
Na cultura Swahili é uma referência frequente nos poemas de amor.
É a flor nacional da Nicarágua e do Laos.


Em 1996 o escritor Mia Couto publicou " A varanda do Frangipani" aonde fala de vida, morte e reconstrução.
O romance é narrado pelo carpinteiro Ermelindo Mucanga, que morreu às vésperas da Independência, quando trabalhava nas obras de restauro da Fortaleza de S. Nicolau, onde funciona um asilo para velhos. Ele é um "xipoco", um fantasma que vive numa cova sob a árvore de frangipani na varanda da fortaleza.


19.9.14

Ao lado da porta de entrada de casa, há aproximadamente uns quatro anos plantei uma cerejeira.Qual não foi minha alegria ao perceber que pela primeira vez ela está dando flores.Ainda são poucas, tímidas, somente nas pontas dos galhos mais altos.Mas já é uma promessa para o próximo ano!

"Originária da Ásia, na cultura japonesa (chamada de sakura, identificando tanto a cerejeira quanto a flor de cerejeira), a cerejeira era associada ao samurai cuja vida era tão efêmera quanto a da flor que se desprendia da árvore. O suco de cereja madura é de tão intenso sabor e cor que tem sido freqüentemente comparado ao primeiro gosto do amor. A flor da cerejeira já foi considerada uma das flores mais belas, tanto pelo seu formato como pela delicadeza e espessura das suas pétalas. Na Índia ela é considerada sagrada, e nas casas que tem essa flor nunca falta nada."(Fonte: Wikipédia)

E falando em cerejeira lembrei-me de uma ópera maravilhosa: Madame Butterfly

18.9.14

O Rio Atibaia faz parte da minha memória afetiva e agora ele sofre com a falta de chuva.
E a culpa é de quem? Por mais que eu queira dizer que é por causa de condições climáticas adversas, é um tanto óbvio que tem dedo podre do homem aí.
Poluição, represamentos clandestinos, assoreamento, consumo não consciente, obras irregulares são alguns dos motivos que contribuem para a situação atual.O problema não afeta somente um rio, ou parte dele, mas um sistema inteiro.
Em meados de agosto o sistema Cantareira estava fornecendo água para o Atibaia.Depois de umas poucas chuvas o processo foi suspenso.Só que parece que esta água evaporou ao bater nas pedras.E aonde antes havia água, hoje só vemos pedras.

   Foto: Adriano Rosa
Não vivo sem música.
Mesmo no mais profundo silêncio escuto os acordes eternizados em minha memória.
Talvez tenha me apaixonado pelos cinema por causa das trilhas sonoras.
Aos vinte e poucos anos comentei que iria assistir a apresentação de um amigo que iria interpretar músicas do Carmen Cavallaro.Alguém sutilmente fez menção de me corrigir achando que eu havia trocado o sexo da compositora.
Não, eu estava falando justamente do Carmen Cavallaro, do clássico. "Melodia Imortal"(1956). Melodia o quê?
Eddy Duchin Story. Eddy what???
Aí percebi que não era meu conhecimento cinematográfico que me distanciava dos outros e sim o musical.



A música Concerto de Varsóvia, também interpretada por Carmen Cavallaro, foi composta em 1941 para outro filme: "Dangerous Moonlight".
Ela é simplesmente maravilhosa!!!

17.9.14

Por onde andam compositores com os de antigamente?
Sinto falta de obras magistrais como as de Nikolai Rimsky-Korsakov, que foi professor de outros grandes artistas: Prokofiev e Respighi.
Scheherazade é um primor que povoa aquele ponto mais distante da nossa imaginação.
Já Sadko, baseada na história de um famoso comerciante de Novgorod, tem profunda ligação com o mar. Por ter sido um oficial da marinha russa Korsakov sabia traduzir o mar em sons como ninguém mais.A Canção da Índia fala de saudade e nos faz viajar por locais normalmente inacessíveis do nosso subconsciente!

16.9.14

"Escrevo para fazer as pazes com aquilo que não consigo controlar"  Terry Tempest Williams

Faço isto o tempo todo!
Seja num bilhetinho, minha mesa é cheia deles, ou em um roteiro.
Nos roteiros de documentários a coisa é mais explícita.
Teve uma fase em que tentei dizer tudo o que pensava, mas percebi que não dá muito certo.
Deixar prá lá eu também não consigo, fica tudo martelando aqui dentro.Aí eu escrevo!
Li em algum lugar que o poeta é um inconformado, acho que está mais para incomodado.
Não sou poeta, estou bem longe de ser, mas muitas vezes traduzo aquilo que não consigo controlar em palavras, em frases soltas, que lá na frente farão algum sentido.
Outras, entretanto, fazem sentido imediatamente.
E depois ainda existem pessoas que não gostam de escrever.
Certa vez uma amiga me perguntou porque eu escrevia em um blog.
Eu respondi que é porque é assim que eu relaxo.Ela fez cara de interrogação.
E tudo bem também se ela não entendeu...já passei do tempo em que me preocupava por não ser compreendida.Quanto mais eu vivo mais tenho a certeza de que as coisas não precisam necessariamente fazer algum sentido.

14.9.14

Quando jovens perdemos algumas oportunidades por pura falta de maturidade.
Vivíamos a fase da vergonha....
Eu teria dançado esta música, sob a luz das estrelas, em qualquer língua.
Hoje, penso que teria gostado!

Sim, eu gosto do Rod Stewart



E, no calor, de limonada também!

13.9.14

Bom dia!!!!!
Porque viver é bom demais, cansa, incomoda, machuca, mas são as pequenas alegrias que nos fazem seguir adiante.
É a vontade do "quero mais", o coração aquecido e a alma feliz que nos impulsionam.
É aquela vibração que encontra lugar em nós e nos outros.
Vamos lá que ainda tem muita vida para ser vivida!

11.9.14

Difícil ter bom gosto...passando pela rua, uma, duas, três vezes, na quarta me apaixonei pela poltrona da vitrine.Tentei desviar o olhar, fingir que não vi , mas aquela imagem ficava pulsando na minha frente.Vi nela algo que me pareceu familiar e aconchegante.
Sabendo de antemão que a peça deveria custar os olhos da cara telefonei na loja para mais informações:
- A senhora tem muito bom gosto, é só a poltrona mais cara que já tivemos à venda aqui na loja.Ela é assinada e inspirada na arquitetura cobogó!
Cobogó? Cobogó? Fiquei pensando...pensando...putz é aquilo que eu adoro: elemento vazado!!!



Sim, a lateral da cadeira é a representação de uma parede de elementos vazados.


 
A poltrona, assinada pelo designer Roque Frizzo, vai continuar lá, a não ser que eu seja eleita para um cargo político, ganhe na loteria ou vire traficante, porque trabalhando na legalidade vai ser difícil trazê-la para casa.
De qualquer forma ela é linda de se ver!!!
Hoje acordei cansada...
Queria acessar o teletransporte, sumir por algumas horas e depois voltar renovada.
Mas vamos lá, coragem!
Afinal, já dizia Aristóteles:
"A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras."


9.9.14

Muitas vezes precisamos ser o exemplo forte do que queremos e sem querer acabamos sendo o exemplo do que não pedimos.
Eu sou concha, gosto do sossego do meu canto.
Mas mal coloco minha cabeça para fora surgem milhares de solicitações.Como tenho bons ouvidos acabo escutando todas, umas mais fáceis e outras nem tanto.É gente que desabafa, que pede conselho, um favor ou simplesmente que gostaria de saber o que eu faria em determinada situação.
Percebo que uma única palavra pode significar muito para quem se sente perdido, como uma luz, um farol, um caminho.
Já tentei dizer que não sou exemplo para ninguém e muitas vezes senti vontade de gritar: - Não me sigam, por favor!
Mas parece que nascemos predestinados.
E fica aquela sensação estranha de cansaço, felicidade e realização.
Porque, no final, é bom!

5.9.14

O dia hoje combina com as palavras de Quintana!

"(...)Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dada, um dia,
outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente
e iria jogando, pelo caminho,
a casca dourada e inútil das horas(...)"



4.9.14

Gosto do vento.
Como escreveu Pessoa:
"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."
Se não fosse ele a inflar as velas como sairíamos para o mar? Já dizia Platão:
"O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê."


Vento é movimento, é força, é voz, é direção.
E vento também é canção, escrita lá nos anos 90:

3.9.14

Achei lindo:


1.9.14

Bom saber que Hayao Miyazaki receberá o Oscar honorário pelo conjunto da obra.
Amo os trabalhos dele assim como as trilhas compostas por Joe Hisaishi!!!


Gosto muito da música de número 27, do filme Departure.
Setembro chegou!
Queria tanto que Agosto acabasse logo e agora perdi a pressa.A nossa corrida presidencial me preocupa um pouco.Meu candidato morreu, sua sucessora não me inspira segurança.O governo atual mostra claros sinais de desgaste.A inflação está nos comendo pela perna embora não apareça nos índices oficiais.
Independente do resultado creio que venha tempestade por aí, o que deve mudar é somente o tamanho das ondas e o intervalo de tempo entre elas.
Enquanto isto vamos cuidando do espírito:



Va benne!

30.8.14

A manhã está linda, 20 graus, um sol discreto e muita preguiça.
Sei que sonhei e que foi bom, só não me lembro do sonho.
Ei, Jung, você bem que podia me dar uma mãozinha, héin?
Fiz um café de máquina e aqueci uns pãezinhos de semolina que preparei na noite anterior.Coloquei os fones no ouvido e entreguei-me ao prazer de escutar música.
De som em som encontrei um que se parece com a sensação que o sonho deixou em mim.


E como uma coisa leva a outra tenho quase certeza de que eu dançava.
E na chuva!


27.8.14

Ô meu São Benedito...parece que aquela minha fase gastronômica ruim acabou.
Acertei a mão outra vez ontem e hoje.
E nem o cansaço fez diferença.Fiz uma cenoura ao curry divina, ficou adocicada e picante na medida certa.
Hoje o trânsito estava acima da média, mas ao invés de estressar resolvi ligar o rádio e deixar a pressa prá lá. Escutei muita coisa boa e descobri que o Zeca Baleiro gravou "Ai, que saudade d'ocê" , do Vital Farias.Já foi interpretada por diversos artistas da MPB, mas gostei muito desta versão.Não encontrei o video somente com o cantor e sim um que faz referência à uma novela.
Esqueçam a novela e escutem a música, que tá boa demais:

23.8.14

Não somos como máquinas e acho que nem nunca seremos.
Cozinho até que bem, conheço os temperos, os elementos, os segredos e as proporções.Mas tem dias em que as coisas não saem exatamente como deveriam ser.Interferência do estado de espírito.
Ontem foi assim e hoje cedo o café da manhã não foi diferente.Ou seja, um desastre...
Acho que é cansaço! O tornozelo torcido voltou ao seu estado normal, mas atrapalhou-me um bocado no decorrer da semana.Além do que, minha cabeça está cheia.Sistematicamente passamos por períodos de encubação de problemas sem solução no momento.Com o passar dos dias, semanas ou meses as coisas vão sendo resolvidas, mas por enquanto estamos em stand by.Isto entra em conflito com a ansiedade que me é peculiar.
Aí escrevo, me meto em projetos, planejo viagens, enfim, me ocupo mais ainda enquanto não tenho resolvido aquilo que me incomoda.Chego no sábado como se tivesse carregado o mundo nas costas a semana inteira.
Meu parceiro cinematográfico está trabalhando com uma equipe ótima e me chamou prá filmarmos um roteiro meu.Aceitei, é claro, só que o filme de 15 minutos, finalizado, tem que ser entregue até a última semana de outubro. A partir da próxima sexta feira estaremos numa Mostra de Curtas.Dos cinco filmes do grupo que foram selecionados, tenho participação em três.
Por tanto o cansaço é bom!
Para aliviar já fechei as férias do ano que vem.Vou outra vez para o sul do continente, que é aonde mais gosto de estar, tirando Portugal.Muitas pessoas viajam sem planejamento, eu não consigo.Para sair preciso deixar tudo mais ou menos em ordem.Não que eu não saia sem planejamento algumas vezes.
Além da minha diversão, que é participar de produções cinematográficas experimentais, tenho um trabalho que me sustenta e que consome muito mais que a metade de mim.E ele me fez assim.
Mea culpa, que no papel de mulher moderna, abracei muito mais do que deveria.No ponto em que estou não posso voltar atrás e também não iria, faz parte da minha personalidade.
Isso sem contar que o cara metade, na semana que vem, vai se embrenhar pela selva outra vez. Ontem fechamos a mala de remédios que tem de anestésico local até soro antiofídico.E também roupas e calçados em bom estado para os ribeirinhas que ele encontra pelo caminho.Aquilo que para nós não tem muito uso, que fica encostado no armário, é recebido com muita alegria por eles.Afinal muitos moram a 400, 500 km, de barco, da cidade mais próxima.Não há estradas, no máximo uma pista de pouso perdida aqui ou alí no meio de uma floresta de proporções gigantescas.
Acredito que toda essa agitação acabe por influenciar os meus dotes culinários.
Cozinhar tem que ser algo leve assim:

20.8.14

Se de noite a gente alimenta os ouvidos de manhã é a vez da alma e do coração.
Aí durante o dia naquela hora em que a pessoa chega na sua frente, olha para sua cara e começa a reclamar do colega de trabalho, por uma futilidade qualquer, como na época do jardim de infância, quando uma coisinha pequena parecia uma tragédia gigantesca, você, depois de uns minutos, começa lentamente a se desligar e lembra do que leu logo cedo.

Tu És em Mim Profunda Primavera

O sabor da tua boca e a cor da tua pele,
pele, boca, fruta minha destes dias velozes,
diz-me, sempre estiveram contigo
por anos e viagens e por luas e sóis
e terra e pranto e chuva e alegria,
ou só agora, só agora
brotam das tuas raízes
como a água que à terra seca traz
germinações de mim desconhecidas
ou aos lábios do cântaro esquecido
na água chega o sabor da terra?

Não sei, não mo digas, tu não sabes.
Ninguém sabe estas coisas.
Mas, aproximando os meus sentidos todos
da luz da tua pele, desapareces,
fundes-te como o ácido aroma dum fruto
e o calor dum caminho,
o cheiro do milho debulhado,
a madressilva da tarde pura,
os nomes da terra poeirenta,
o infinito perfume da pátria:
magnólia e matagal,
sangue e farinha, galope de cavalos,
a lua poeirenta das aldeias,
o pão recém-nascido:
ai, tudo o que há na tua pele volta à minha boca,
volta ao meu coração, volta ao meu corpo,
e volto a ser contigo a terra que tu és:
tu és em mim profunda primavera:
volto a saber em ti como germino.

Pablo Neruda, in "Os Versos do Capitão"