29.9.14

O sabor da pitanga se espalhando pela boca tem gosto de lembrança gostosa.
Estão servidos? Foram colhidas agorinha...


28.9.14

Ao invés de escrever, fui prá rua e acabei trazendo mais um cãozinho prá casa!!!
Já vacinado e com 90 dias.
E com aval da família inteira...não tem coisa melhor.
Incorrigível é apelido, acho que faço isso desde que me entendo por gente.
Depois eu digo que não é fácil conviver comigo e tem ainda quem não acredite.
O roteiro não saiu, mas eu tô feliz pacas.


27.9.14

Tenho que escrever um roteiro de direção e estou com uma preguiça monstra.Sinto muito mas vou deixar prá amanhã.Tem dias em que as coisas ficam presas dentro da mente e não saem nem por decreto.
Tive uma semana de muito trabalho e do tipo estressante.Nem o poker de ontem à noite, aonde fiz uma quadra de quatros e outra de noves, me deixou mais relaxada.


Já sei, vou prá cozinha preparar pãezinhos de semolina enrolados com presunto e queijo.
A massa leva basicamente 1 ovo bem batido, meio copo de azeite, 1kg de semolina, 500 gr de farinha de trigo, 30gr de fermento biológico fresco, água morna, sal e açucar.
Uma delícia para comer nas manhã de domingo!!!

24.9.14

Frangipani ou jasmim manga é uma pluméria descoberta pelo botânico francês Charles Plumier.
Amo todas as variações sobre o mesmo tema, são mais de 300 espécies distribuídas pelo planeta.
No Sudeste Asiático acredita-se que protege contra fantasmas e demônios, costumam ser plantadas em cemitérios e fazem parte de rituais em templos budistas e hindus.
No Japão é conhecida como Pagoda Tree, fazendo referência aos templos, principalmente, budistas.
Em muitas ilhas do Pacífico são usadas para fazer colares de flores. Na moderna cultura polinésia se uma mulher usa a flor do Frangipani na orelha direita significa que é descompromissada e se a usa na esquerda que é comprometida.
Na cultura Swahili é uma referência frequente nos poemas de amor.
É a flor nacional da Nicarágua e do Laos.


Em 1996 o escritor Mia Couto publicou " A varanda do Frangipani" aonde fala de vida, morte e reconstrução.
O romance é narrado pelo carpinteiro Ermelindo Mucanga, que morreu às vésperas da Independência, quando trabalhava nas obras de restauro da Fortaleza de S. Nicolau, onde funciona um asilo para velhos. Ele é um "xipoco", um fantasma que vive numa cova sob a árvore de frangipani na varanda da fortaleza.


19.9.14

Ao lado da porta de entrada de casa, há aproximadamente uns quatro anos plantei uma cerejeira.Qual não foi minha alegria ao perceber que pela primeira vez ela está dando flores.Ainda são poucas, tímidas, somente nas pontas dos galhos mais altos.Mas já é uma promessa para o próximo ano!

"Originária da Ásia, na cultura japonesa (chamada de sakura, identificando tanto a cerejeira quanto a flor de cerejeira), a cerejeira era associada ao samurai cuja vida era tão efêmera quanto a da flor que se desprendia da árvore. O suco de cereja madura é de tão intenso sabor e cor que tem sido freqüentemente comparado ao primeiro gosto do amor. A flor da cerejeira já foi considerada uma das flores mais belas, tanto pelo seu formato como pela delicadeza e espessura das suas pétalas. Na Índia ela é considerada sagrada, e nas casas que tem essa flor nunca falta nada."(Fonte: Wikipédia)

E falando em cerejeira lembrei-me de uma ópera maravilhosa: Madame Butterfly

18.9.14

O Rio Atibaia faz parte da minha memória afetiva e agora ele sofre com a falta de chuva.
E a culpa é de quem? Por mais que eu queira dizer que é por causa de condições climáticas adversas, é um tanto óbvio que tem dedo podre do homem aí.
Poluição, represamentos clandestinos, assoreamento, consumo não consciente, obras irregulares são alguns dos motivos que contribuem para a situação atual.O problema não afeta somente um rio, ou parte dele, mas um sistema inteiro.
Em meados de agosto o sistema Cantareira estava fornecendo água para o Atibaia.Depois de umas poucas chuvas o processo foi suspenso.Só que parece que esta água evaporou ao bater nas pedras.E aonde antes havia água, hoje só vemos pedras.

   Foto: Adriano Rosa
Não vivo sem música.
Mesmo no mais profundo silêncio escuto os acordes eternizados em minha memória.
Talvez tenha me apaixonado pelos cinema por causa das trilhas sonoras.
Aos vinte e poucos anos comentei que iria assistir a apresentação de um amigo que iria interpretar músicas do Carmen Cavallaro.Alguém sutilmente fez menção de me corrigir achando que eu havia trocado o sexo da compositora.
Não, eu estava falando justamente do Carmen Cavallaro, do clássico. "Melodia Imortal"(1956). Melodia o quê?
Eddy Duchin Story. Eddy what???
Aí percebi que não era meu conhecimento cinematográfico que me distanciava dos outros e sim o musical.



A música Concerto de Varsóvia, também interpretada por Carmen Cavallaro, foi composta em 1941 para outro filme: "Dangerous Moonlight".
Ela é simplesmente maravilhosa!!!

17.9.14

Por onde andam compositores com os de antigamente?
Sinto falta de obras magistrais como as de Nikolai Rimsky-Korsakov, que foi professor de outros grandes artistas: Prokofiev e Respighi.
Scheherazade é um primor que povoa aquele ponto mais distante da nossa imaginação.
Já Sadko, baseada na história de um famoso comerciante de Novgorod, tem profunda ligação com o mar. Por ter sido um oficial da marinha russa Korsakov sabia traduzir o mar em sons como ninguém mais.A Canção da Índia fala de saudade e nos faz viajar por locais normalmente inacessíveis do nosso subconsciente!

16.9.14

"Escrevo para fazer as pazes com aquilo que não consigo controlar"  Terry Tempest Williams

Faço isto o tempo todo!
Seja num bilhetinho, minha mesa é cheia deles, ou em um roteiro.
Nos roteiros de documentários a coisa é mais explícita.
Teve uma fase em que tentei dizer tudo o que pensava, mas percebi que não dá muito certo.
Deixar prá lá eu também não consigo, fica tudo martelando aqui dentro.Aí eu escrevo!
Li em algum lugar que o poeta é um inconformado, acho que está mais para incomodado.
Não sou poeta, estou bem longe de ser, mas muitas vezes traduzo aquilo que não consigo controlar em palavras, em frases soltas, que lá na frente farão algum sentido.
Outras, entretanto, fazem sentido imediatamente.
E depois ainda existem pessoas que não gostam de escrever.
Certa vez uma amiga me perguntou porque eu escrevia em um blog.
Eu respondi que é porque é assim que eu relaxo.Ela fez cara de interrogação.
E tudo bem também se ela não entendeu...já passei do tempo em que me preocupava por não ser compreendida.Quanto mais eu vivo mais tenho a certeza de que as coisas não precisam necessariamente fazer algum sentido.

14.9.14

Quando jovens perdemos algumas oportunidades por pura falta de maturidade.
Vivíamos a fase da vergonha....
Eu teria dançado esta música, sob a luz das estrelas, em qualquer língua.
Hoje, penso que teria gostado!

Sim, eu gosto do Rod Stewart



E, no calor, de limonada também!

13.9.14

Bom dia!!!!!
Porque viver é bom demais, cansa, incomoda, machuca, mas são as pequenas alegrias que nos fazem seguir adiante.
É a vontade do "quero mais", o coração aquecido e a alma feliz que nos impulsionam.
É aquela vibração que encontra lugar em nós e nos outros.
Vamos lá que ainda tem muita vida para ser vivida!

11.9.14

Difícil ter bom gosto...passando pela rua, uma, duas, três vezes, na quarta me apaixonei pela poltrona da vitrine.Tentei desviar o olhar, fingir que não vi , mas aquela imagem ficava pulsando na minha frente.Vi nela algo que me pareceu familiar e aconchegante.
Sabendo de antemão que a peça deveria custar os olhos da cara telefonei na loja para mais informações:
- A senhora tem muito bom gosto, é só a poltrona mais cara que já tivemos à venda aqui na loja.Ela é assinada e inspirada na arquitetura cobogó!
Cobogó? Cobogó? Fiquei pensando...pensando...putz é aquilo que eu adoro: elemento vazado!!!



Sim, a lateral da cadeira é a representação de uma parede de elementos vazados.


 
A poltrona, assinada pelo designer Roque Frizzo, vai continuar lá, a não ser que eu seja eleita para um cargo político, ganhe na loteria ou vire traficante, porque trabalhando na legalidade vai ser difícil trazê-la para casa.
De qualquer forma ela é linda de se ver!!!
Hoje acordei cansada...
Queria acessar o teletransporte, sumir por algumas horas e depois voltar renovada.
Mas vamos lá, coragem!
Afinal, já dizia Aristóteles:
"A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras."


9.9.14

Muitas vezes precisamos ser o exemplo forte do que queremos e sem querer acabamos sendo o exemplo do que não pedimos.
Eu sou concha, gosto do sossego do meu canto.
Mas mal coloco minha cabeça para fora surgem milhares de solicitações.Como tenho bons ouvidos acabo escutando todas, umas mais fáceis e outras nem tanto.É gente que desabafa, que pede conselho, um favor ou simplesmente que gostaria de saber o que eu faria em determinada situação.
Percebo que uma única palavra pode significar muito para quem se sente perdido, como uma luz, um farol, um caminho.
Já tentei dizer que não sou exemplo para ninguém e muitas vezes senti vontade de gritar: - Não me sigam, por favor!
Mas parece que nascemos predestinados.
E fica aquela sensação estranha de cansaço, felicidade e realização.
Porque, no final, é bom!

5.9.14

O dia hoje combina com as palavras de Quintana!

"(...)Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, passaram-se 50 anos!
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dada, um dia,
outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente
e iria jogando, pelo caminho,
a casca dourada e inútil das horas(...)"



4.9.14

Gosto do vento.
Como escreveu Pessoa:
"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido."
Se não fosse ele a inflar as velas como sairíamos para o mar? Já dizia Platão:
"O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê."


Vento é movimento, é força, é voz, é direção.
E vento também é canção, escrita lá nos anos 90:

3.9.14

Achei lindo:


1.9.14

Bom saber que Hayao Miyazaki receberá o Oscar honorário pelo conjunto da obra.
Amo os trabalhos dele assim como as trilhas compostas por Joe Hisaishi!!!


Gosto muito da música de número 27, do filme Departure.
Setembro chegou!
Queria tanto que Agosto acabasse logo e agora perdi a pressa.A nossa corrida presidencial me preocupa um pouco.Meu candidato morreu, sua sucessora não me inspira segurança.O governo atual mostra claros sinais de desgaste.A inflação está nos comendo pela perna embora não apareça nos índices oficiais.
Independente do resultado creio que venha tempestade por aí, o que deve mudar é somente o tamanho das ondas e o intervalo de tempo entre elas.
Enquanto isto vamos cuidando do espírito:



Va benne!