20.7.14

Mais um pouco de Rubem Alves:

"Às vezes a gente se pergunta sobre o segredo da alegria.
 É nos sonhos que ela mora.
 Alegria é quando o sonho se realiza.
 Como quando se espera pelo regresso da pessoa amada.
 Antes é a saudade, o vazio.
 Depois, o abraço, a alegria.
 Quem não sonha não pode ter alegria."
 R.A.

"Aquilo que está escrito no coração
 não necessita de agendas porque a gente não esquece.
 O que a memória ama fica eterno."
 R.A.

 "Disseste tudo ao dizer:
 Quando a ausência de mim
 Fizer presença em meu ser,
 Visitarei a mim mesmo,
 Para não me afastar de você."
 R.A.

 "Na saudade descobrimos que pedaços de nós já ficaram para trás.
 E descobrimos, na saudade, uma coisa estranha:
 desejamos encontrar, no futuro,
 aquilo que já experimentamos como alegria, no passado.
 Só podemos amar o que um dia já tivemos".
 R.A.

 "Poucos sabem, entretanto, que é a saudade que torna encantadas as pessoas.
 A saudade faz crescer o desejo.
 E quando o desejo cresce, preparam-se os abraços."
 R.A.

"E o meu encanto precisa da saudade."
 R.A.



19.7.14

Perdemos hoje o Rubem Alves.
Ele, com certeza, iniciou uma nova jornada e nós ficamos aqui com aquela sensação de que está faltando alguma coisa.
Deixou-nos um legado considerável, mas como crianças mimadas, queríamos mais...


 "Uma professora me contou esta coisa deliciosa. Um inspetor visitava a escola. Numa sala ele viu, colados nas paredes, trabalhos dos alunos acerca de alguns dos meus livros infantis. Como que num desafio, ele perguntou à criançada: “E quem é Rubem Alves?” Um menininho respondeu: “O Rubem Alves é um homem que gosta de ipês-amarelos...” A resposta do menininho e deu grande felicidade. Ele sabia das coisas. As pessoas são o que elas amam. Descartes afirmou: “Penso, logo existo”. Eu inverto Descartes e digo: “Amo, logo existo”. Mas o menininho não sabia que sou um homem de muitos amores... Amo os ipês, mas amo também caminhar sozinho. Muitas pessoas levam seus cães a passear. Eu levo meus olhos a passear. E como eles gostam! Eles têm fome de ver. Encantam-se com tudo...
...Escrever é minha grande alegria!...
...Vejo e quero que os outros vejam comigo. Por isso escrevo. Faço fotografias com palavras. Diferentes dos filmes que exigem tempo para serem vistos, as fotografias são instantâneas. Minhas crônicas são fotografias. Escrevo para fazer ver. Uma das minhas alegrias são os e-mails que recebo de pessoas que me confessam haver aprendido o gozo da leitura lendo meus textos...
...Não tenho medo da morte. O que sinto é tristeza. O mundo é muito bonito! Gostaria de ficar por aqui... Escrever é meu jeito de ficar por aqui. Cada texto é uma semente. Depois que eu for, elas ficarão. Quem sabe se transformarão em árvores!
Torço para que sejam ipês-amarelos..." (Rubem Alves)

18.7.14

Amo o outono, aliás gosto de todas as estações, mas amo o outono. Fica aquela sensação de que algo está mudando, que devemos estar preparados para os dias frios de inverno, tempo de recolhimento, mas que me dá imenso prazer.


Gosto da temperatura, das cores da estação e da forma como a natureza responde a ela. E parece que esta época aproxima as pessoas, ontem quase encontrei uma amiga muito querida, hoje almocei com um primo que gosto muito, amanhã uma grande amiga vem me visitar.
É claro que vida continua com seus percalços, mas minha alma fica mais leve nestes dias.
Tire uns minutos do seu dia para contemplar a natureza que te cerca.Se ela estiver distante, não tenha preguiça, vá atrás dela.
Garanto que seus dias serão bem melhores!

17.7.14

Todo mundo quer viver um grande amor, só que muitas vezes nem sabemos como.
A Mariliz escreveu um texto bem fofo sobre o assunto:
Para viver um grande amor.
Na minha idade, acho eu, o amor de verdade é aquele que acalma a alma e sossega o coração.
Mas que de vez em quando faz perder o sono, o juízo e a sanidade.
O grande amor parece crescer mesmo que as coisas não pareçam fazer muito sentido.
Também não acredito naquele amor tranquilo embora ele deva ser aquele que acalma a alma e o coração.
De qualquer forma o meu mundo fica melhor assim!!!

Ô delícia, viu!
Não tenho nem vergonha de contar que perdi a hora...eu estava precisando de algo assim.


Sou adepta da teoria que devemos cometer algumas extravagâncias uma vez ou outra.
Uma das boas coisas da internet é que uma vez que perdeu a hora, você pode acessar sua conta de e-mail e resolver uma série de coisas da sua casa mesmo.
Tenham todos um excelente dia!!!

15.7.14

Me considero pessoa bem resolvida, franca e amiga.Talvez por ser tão amiga é que não estou podendo ser franca como eu gostaria.
Neste último mês recebi algumas notícias chatas, duas amigas estão fazendo quimioterapia. A minha vontade, ao receber a notícia, era a de chorar e dizer que morro de medo de perdê-las, como aconteceu com tanta gente que perdi por causa desta doença imbecil.Mas não, a gente veste a máscara de pessoa forte e tenta dar a maior força.Por dentro tô meio baqueada...
Hoje me despedi de uma garota que vi crescer, afilhada da minha mãe.Não, ela não morreu, está somente se mudando e por tempo pré determinado, três anos.Vai fazer seu mestrado na Suiça.Devia ser motivo de muita comemoração, mas novamente fica aquele nó na garganta.Não foi aquele chororô sentido, mas toda hora escorria uma lágrima no cantinho do rosto.É o que ela queria, mas se disséssemos (eu, a mãe dela ou a minha) fica, acho que ela ficava.Mais uma vez, durante um longo café, vestimos nossas máscaras e a encorajamos com palavras de incentivo.Saímos do encontro com os olhos inchados e ela com certeza de que se não der certo, estaremos esperando por ela de braços abertos.Mas é claro que já estamos com saudades...
E por aí afora, é tanta coisa que eu queria dizer, mas não posso.Isto é só a ponta do iceberg. Tudo bem que não é nada grave, mas eu queria poder usar um pouco mais da franqueza que me é peculiar.
Enfim, mais uma vez, deixa o tempo que ele costuma ajeitar tudo!


12.7.14

Não cresci escutando jazz.
Em casa era mais a música erudita e a MPB de Chico Buarque.
Quando passei a fazer minhas próprias escolhas eu já estava envolvida pelo rock.Peguei ainda uma carona nos blues e gostei um bocado.O bolero era a preferência dos meus avós maternos, que davam, segundo contam, um show no salão.Não conheci minha avó para poder conferir e depois da sua morte meu avô meio que tornou-se um bocado estranho, mais para a melancolia dos blues do que para a alegria do bolero.Acho que nunca mais dançou.
Mas voltando ao que comecei escrevendo, o jazz para mim era o tipo de música que somente as pessoas mais velhas escutavam.Curiosa, fui procurar escutar o que um namorado mais velho que tive escutava. Confesso que não gostei nem desgostei, mas eu tinha na época uns 16/17 anos.
Anos mais tarde, reconheci a Ella e o Gershwin, no cinema e na TV.
Hoje posso fechar os olhos e ficar escutando-os por horas a fio.



E Benny Goodman, então...

9.7.14

Não vou dizer que estou triste com a derrota do Brasil porque não sou hipócrita.Não costumo acompanhar jogos de futebol, não tenho time de preferência e agora não vou agir de forma diferente.
Respeito quem gosta!
Assisti ao jogo pois não sou alienada e vou dizer, os alemães jogaram um bolão e não fizeram mais gols porque foram elegantes.
Não vou discutir se deu branco, se faltou treino, união ou talento.Não tenho vontade e muito menos competência para isso. Desde o princípio não concordei com a idéia do Brasil sediar uma Copa do Mundo, mas enfim eu não decido nada por aqui e nem quero.Cuido da minha vida e já está de bom tamanho.
Mas é claro que tem quem critique a seleção, o Felipão e etc.
E tem também quem ache injusto e até maldade falar mal dos jogadores...
Deixa eu voltar a cuidar da minha vida que ganho mais, afinal amanhã fico mais velha e quero acordar linda e radiante!!!

8.7.14

Ora, ora, mas Rock Hudson era mesmo um desfrutável...

5.7.14

Fair play, minha gente, é o que falta dentro e fora do campo.


4.7.14

Clima da Copa? Não, obrigada.
Só prá constar, não sou contra nem a favor.
O dia dia mal começou, o jogo do Brasil é somente às 17:00h e o meu clima agora é este:



Logo mais a cidade pára, a casa enche e a bola rola no gramado.
Aproveito a manhã para trabalhar e em seguida ir às compras sem pressa.
Porque não é um jogo de futebol que tira a minha calma.

1.7.14

Definitivamente não conheço as pessoas...ou talvez acredite demais nelas, ou minha intuição ande falhando, ou haja uma estranha conjunção planetária acontecendo no momento ou, ou, ou...

Caranguejo, signo da última estação do segundo lugar
Do primeiro desejo que não há
Como dissimulando se esconder no porão

Caranguejo da canceriana, solidão de horizontalizar
No canteiro de beijos que não dá
Como dissimulando se esconder no porão do ser

Caranguejo cada vez que a gente se encontrar no cio
Pode ser que não, mas eu quase adivinho
que no coração alguém vai batucar (...)

Pois é Caranguejo, símbolo da réplica fusão do que não caberá
Mas no primeiro ensejo brilhará como volatizando
Se acender um balão pro céu

Oswaldo Montenegro

27.6.14

Semana chegando ao fim e apesar de um péssimo começo ainda penso que a humanidade tem jeito.
Vi e recebi diversas demonstrações de carinho aqui e acolá.Percebi que as pessoas ainda precisam da presença do outro.Agradeço esta virtualidade toda que me permite colocar a prosa em dia com gente de todo o planeta.Tive uma semana até que leve, produtiva, cansativa, mas extremamente leve.
As duas sessões de Pilates até que ajudaram.
Muitas vezes só respirar melhor já faz milagres!

24.6.14

"O que não me mata, me fortalece".
O prefeito afirmou veementemente que não faltaria água e nem haveria racionamento na cidade.
Tenho prestado atenção aos avisos do noticiário regional nas últimas semanas.Todo dia pelo menos um bairro fica sem fornecimento de água por conta de reparos na rede.Aqui os tais reparos já aconteceram duas vezes, na semana passada e nesta que mal começou.Eles abrem um buraco no chão, parecem estar trabalhando e no final do dia fecham tudo, vão embora e a água volta.
De duas, uma, ou a nossa rede de água está toda danificada, ou estamos sendo enganados pelo poder público. Eu aposto na segunda opção!


23.6.14

Certa vez escrevi, e vou repetir, que este blog funciona como um diário pessoal.
Quem não gostar do que aqui compartilho que simplesmente não leia.
E hoje, especificamente, preciso desabafar.
A empresa na qual trabalho tem por sócios uns filhos de umas senhoras de moral duvidosa trabalhando em nome da Igreja Apostólica Católica Romana.Eu juro que o Santo Papa e até mesmo Deus, o onipresente e onipotente, não imaginam o que seus fiéis obreiros são capazes de fazer.E já que eles acreditam em Céu e Inferno, assim tão bem definidos e em perfeita contraposição, eu espero, baseada na lógica da justiça divina, que eles passem a eternidade nas áreas mais quentes do Inferno.
Eles são mestres em terrorismo, quebra de braço e fazem pressão psicológica como ninguém.A sorte é que tenho uma boa equipe trabalhando comigo e que aprendemos a jogar xadrez e conhecemos o modus operandi dos personagens criados por Agatha Christie. Assim fica um pouco mais fácil.
O mais importante ao lidar com eles é enxergar além da superfície, prestar atenção naquilo que não foi dito.Desde sábado cedo eles estão nos cutucando e hoje pegaram um pouco mais pesado.Mas não tem problema não, logo, logo resolveremos a questão.
Pronto, desabafei!

22.6.14

Eu escrevo e depois, relendo o que escrevi, me emociono...isso acontece muitas vezes.E desta vez foi com uma frase de um roteiro baseado num poema de amor de Vinicius de Moraes.
Lá na cena 4 o narrador diz:

Eu te amo, menina com uma flor, porque você tem um andar de pajem medieval; e porque quando canta nem um mosquito ouve a sua voz, e você desafina lindo e logo conserta e fica cantando feito uma maluca.    (pausa) E porque você é uma menina que não pisca nunca, com olhos que foram feitos na primeira noite da Criação, e é capaz de ficar me olhando horas. Eu me divirto quando olho você por muito tempo e você vai ficando nervosa até eu dizer que estou brincando.

Acho que voltei no tempo com a última frase, e sei lá, acabei me emocionando.


E falando em flor:

19.6.14

Sou saudosista de nascença, afinal, assim que cheguei por aqui quase voltei para trás, estou viva graças à insistência da minha mãe.
E no frio a saudade do que foi bom aumenta, talvez porque no inverno, ou próximo do meu aniversário, eu tenha vivido os melhores momentos da minha vida.Ou ainda porque nesta época a minha imaginação fique mais desperta.O verão eu uso para relaxar.
Do que sinto saudades? De tudo, inclusive das almas com perfume de jasmim.
Hoje é aniversário dele, Chico Buarque Encanto de Holanda:



Sabe, gosto de todas as suas músicas, mas esta é a que mais se parece com a saudade que bate aqui dentro de vez em quando.
"Se lembra do futuro que a gente combinou, eu era tão criança e ainda sou...querendo acreditar que o dia vai raiar só porque uma cantiga anunciou"

17.6.14

Eu bem que queria ter mais tempo com as agulhas de crochê e tricô, afinal começou a esfriar, mas vira e mexe eu acabo na boca do forno.Eu preciso de tempo, embora esteja até sobrando nestes dias de jogos do Brasil, para terminar um roteiro baseado num poema do Vinicius.Mas tá empacado e pelo jeito vai continuar...
Ontem toca o telefone no escritório e era o cara metade:
- Eu estive com o seu pai e ele disse para assistirmos o jogo na casa dele amanhã.Ah...e que ele está com saudades de lanche de pernil e vinagrete que você prepara.Outra coisa, comprei tortillas para fazermos no jantar, só tem que preparar o chilli.Quando você chegar vamos no açougue!
Cheguei em casa depois das 18:00h, nem desci do carro porque corria o risco de pegar o açougue fechado.Compramos carne moída para o chilli e pernil sem osso.
Tive que começar do zero, temperei a carne, cozinhei uma xícara de feijão, lavei e piquei alface, fiz vinagrete, piquei abacate e etc.O bom é que sempre tenho cheiro verde no freezer, cominho entre os temperos e extrato de tomate no armário.
A primeira parte estava pronta. Tortillas nota 10.
Às 10 horas eu estava temperando o pernil, que só foi para o forno hoje às 11:00h.Mais uma vez entraram em cena os temperos, o louro em folhas, o cheiro verde congelado e as folhinhas de sálvia do vasinho que fica na janela ao lado do manjericão. Para finalizar, alho, sal, páprica picante, vinagre, o suco de um limão e molho inglês.
Minha mãe diz que não conhece ninguém que tempere pernil tão bem quanto eu.Talvez o segredo esteja na pré preparação.Lavo bem a carne em água corrente e depois com vinagre. Só depois que começo a temperá-la.E não tenho medo de usar os temperos, tenho prazer, eles são grandes aliados na cozinha.
Perfumam a comida e a alma!
Por mais que eu queira fazer outras coisas Deméter está sempre me chamando para a cozinha e me lembrando o quanto dá prazer alimentar os outros com o que se faz com muito amor e carinho.

   

14.6.14

Ontem foi dia de trabalhar e escutar música, hoje de arrumar a casa para receber os bons amigos.
Agora é aquela hora do intervalo entre o primeiro e o segundo tempo.
A casa tá pronta, as mesas arrumadas, a geladeira abastecida, o vinho com frutas nas jarras e a lenha empilhada ao lado do forno.
Logo mais vou fazer a massa, ou melhor, as massas, para pelo menos umas 12 pizzas.
Porque aqui a gente pratica gastronomia em larga escala, é quase uma linha de produção.
E é também uma democracia, cada qual escolhe o recheio favorito e é permitido colocar a mão na massa.
É disto que gosto, de reunir amigos sem frescuras, sem tem de seguir protocolos.
Enquanto não chegam me sobram ainda uns minutinhos para escutar mais um pouquinho de Marisa Monte:

13.6.14

Enquanto o país discute a falta ou não de educação com a Sra. Presidenta na abertura da Copa do Mundo, prefiro atualizar a minha seleção musical.
Marisa Monte sempre me impressiona.
E acabo gostando de praticamente tudo o que ela canta.
Até cantando algo que há alguns anos atrás eu não iria gostar, acharia coisa de velho, mas enfim, tô ficando velinha, né?



Em português ela continua cantando que é uma delícia também:


E não é?

12.6.14

Porque não sabemos ler o futuro, neste dia dos Namorados, lembre-se de dizer mais EU TE AMO.