2.9.15

Sei que disse que ando menos romântica...mas aí eu escuto o Nando Reis e tenho uma recaída:


1.9.15

É certo que a liberdade é azul!


Mas o final do dia, aquele horário em que você chega em casa e pode relaxar, definitivamente, é dourado!!!


E assim os dias vão passando....e vou aprendendo a dar menos importância aos pequenos problemas e aborrecimentos.Cansei de me preocupar demais.Tento focar somente no necessário.
Verdade que me acho menos romântica assim...mas nem por isso as coisas andam ruins, estão até que boas, só que com menos emoção!
Talvez a vida peça mesmo um pouco mais de calma...


25.8.15

Hoje li uma frase interessante creditada à Jung:
"Até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir sua vida e você vai chamá-lo de destino"
Juro que estou aqui tentando ligar lé com cré...e se, apesar de você ter consciência do fato, você continuar chamando-o de destino?
Volto mais tarde, preciso coloquiar um pouco mais com meus botões...

22.8.15

Eu sei porque gosto de cozinhar...porque os elogios me fazem bem demais...
Acordei meio ansiosa, meio prá baixo, por conta de algo que terei que resolver, ou melhor, que será resolvido na segunda feira.
Na verdade não vou resolver nada, é algo totalmente alheio à minha vontade e interferência.Nessas horas entendo quando as pessoas entregam as coisas nas mãos de Deus, faz um enorme sentido.Sei que só vou relaxar depois que tudo tiver acabado.
E como cozinha é terapia decidi fazer um prato de despedida do inverno.
Esta é outra receita que cada qual tem a sua: Puchero ou Cocido Madrileño.

Os meus ingredientes:

500 gr de grão de bico (de molho por no mínimo 12 horas)
2 paios fatiados
1 linguiça calabresa fatiada
250gr de costelinha de porco defumada
1 folha de louro
1 cenoura grande fatiada
1 cebola grande picada
1 colher chá de alho desidratado (acho mais suave)
1 colher sopa de azeite.

Coloco o grão de bico, com o louro, para cozinhar na panela de pressão, sem pressão. Enquanto isto fervo por uns 15 minutos a costelinha de porco em uma panela com água, para amolecer e diminuir o sal.Numa frigideira coloco a linguiça, o paio e o azeite.Depois de tudo bem dourado acrescento a cebola e na sequência o alho. É isto que vai dar cor ao caldo.
Na panela de pressão, ainda no fogo e com o grão de bico e a água do seu cozimento, coloco todos os outros ingredientes (não esqueçam a cenoura). Deixo uns 10 minutos na pressão.Destampo a panela ( depois que perder a pressão) e deixo reduzir um pouco o caldo, mexendo algumas vezes.
Tem quem coloque batata, acho desnecessário (só se for para diminuir o sal).
Tem quem coloque repolho mas aqui em casa ninguém curte.
Tem quem coloque pimenta, deixo que cada qual coloque no seu prato.
Bem, a minha está aí descrita para quem quiser experimentar!
Fica mais ou menos com esta cara:


Peguei a foto na net porque não estou com espírito de fotógrafa hoje...

16.8.15

Como o domingo ainda não acabou...um pouco muito de amor, com Mia Couto!

Nosso amor é impuro
como impura é a luz e a água
e tudo quanto nasce
e vive além do tempo.
Minhas pernas são água,
as tuas são luz
e dão a volta ao universo
quando se enlaçam
até se tornarem deserto e escuro.
E eu sofro de te abraçar
depois de te abraçar para não sofrer.
E toco-te
para deixares de ter corpo
e o meu corpo nasce
quando se extingue no teu.
E respiro em ti
para me sufocar
e espreito em tua claridade
para me cegar,
meu Sol vertido em Lua,
minha noite alvorecida.
Tu me bebes
e eu me converto na tua sede.
Meus lábios mordem,
meus dentes beijam,
minha pele te veste
e ficas ainda mais despida.
Pudesse eu ser tu
E em tua saudade ser a minha própria espera.
Mas eu deito-me em teu leito
Quando apenas queria dormir em ti.
E sonho-te
Quando ansiava ser um sonho teu.
E levito, voo de semente,
para em mim mesmo te plantar
menos que flor: simples perfume,
lembrança de pétala sem chão onde tombar.
Teus olhos inundando os meus
e a minha vida, já sem leito,
vai galgando margens
até tudo ser mar.
Esse mar que só há depois do mar.
No livro “Idades cidades divindades”

Me comprei um novo liquidificador!!!
Porque eu prometi arrumar umas gavetas neste final de semana e acabei indo prá cozinha...é que as panelas me chamam...não posso olhar o armário e a geladeira que já saio criando receitas.
O freezer, então, é terreno fecundo!
Costumo ter lá caldos, molhos, mandioca crua, salsão, cheiro verde, ou seja, tudo aquilo que facilita minha vida quando decido cozinhar.



500 gr de camarão descascado (faça um caldo com as cascas e cabeças)
500 gr de mandioca
3 tomates maduros e sem casca em cubos
1 cebola grande em cubos
100 ml de leite de coco
2 colheres de azeite
Salsa (ou coentro) e cebolinha
Sal, pimenta-do-reino e colorau a gosto

Cozinhe a mandioca e bata no liquidificador com a água do cozimento das cascas do camarão e sal, até ficar um creme grosso. Reserve.
Refogue  no azeite a cebola, depois o alho, o tomate e os demais temperos. Em seguida adicione o camarão, acrescente o creme de mandioca e deixe cozinhar, mexendo sempre, por 5 minutos, coloque o leite de coco e continue mexendo por mais alguns minutos até obter uma consistência firme e cremosa.Está pronto!

15.8.15

Nada como uma dorzinha no tornozelo para me segurar dentro de casa...o que talvez seja até bom!
Gosto da pausa, da tranquilidade e mesmo do silêncio...
E Saramago também falou dos silêncios:

DIZ TU POR MIM, SILÊNCIO

Não era hoje um dia de palavras,
Intenções de poemas ou discursos,
Nem qualquer dos caminhos era nosso.
A definir-nos bastava um acto só,
E já que nas palavras me não salvo,
Diz tu por mim, silêncio, o que não posso.

NO SILÊNCIO DOS OLHOS

Em que língua se diz, em que nação,
Em que outra humanidade se aprendeu
A palavra que ordene a confusão
Que neste remoinho se teceu?
Que murmúrio de vento, que dourados
Cantos de ave pousada em altos ramos
Dirão, em som, as coisas que, calados,
No silêncio dos olhos confessamos?

 (SARAMAGO, José, "Os Poemas Possíveis", Caminho, Lisboa, 1999.)

10.8.15

Alma gêmea sob uma outra ótica:

"As pessoas acham que a alma gêmea é o encaixe perfeito, e é isso que todo mundo quer. Mas a verdadeira alma gêmea é um espelho, a pessoa que mostra tudo que está prendendo você, a pessoa que chama a sua atenção para você mesmo para que você possa mudar a sua vida. Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa mais importante que você vai conhecer, porque elas derrubam as suas paredes e te acordam com um tapa. Mas viver com uma alma gêmea para sempre? Não. Dói demais. As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar a você uma outra camada de você mesmo, e depois vão embora." 

Liz Gilbert  (autora de "Comer, Rezar e Amar")

9.8.15

Nada modesta, trago na genética um talento e na alma um encanto para preparar alimentos que confortam.
Assim sendo, em datas festivas sempre preparo alguma coisa.E no dia dos pais não podia ser diferente.
Fiz um pudim de coco com calda de ameixa.
A receita é muito simples: é só bater no liquidificador 6 claras, 1 lata de leite condensado, 300 ml de leite de coco e 1 colher de sopa de amido de milho.Depois levar ao forno, em forma untada com óleo, em banho maria, por 1 hora.Gelar e servir com calda de ameixa.
Um Feliz Dia para todos!!!

8.8.15

"Só há um modo de escapar de um lugar: é sairmos de nós.
Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém."  Mia Couto

E amar compreende tanta coisa....embora pareça um sentimento extremamente libertador quando vemos lá estamos nós ligados, para não dizer presos, de uma forma intensa e duradoura.
No amor de mãe, por exemplo, temos as maiores alegrias e também algumas dores que são difíceis de lidar.Cresce uma angústia sufocada dentro do peito quando não podemos, e nem devemos, ajudar nossos filhos em determinadas situações.
No amor físico o prazer nos leva a uma viagem sensorial e quando estamos longe o corpo fala, pede, muitas vezes grita pois sente falta do contato, da pele, do cheiro e do calor da pessoa amada.
Já o amor de alma é algo que nos enche o peito, que nos envolve, que nos conforta mas que também nos tira o sono uma vez ou outra.E dizem que atravessa séculos, que continua por outras vidas.
Se eu acho que saímos de nós quando amamos? Até demais...


4.8.15

Se tem uma coisa que me chateia bastante é acidente com vítimas na estrada.Talvez seja porque meu pai quase morreu e ficou mais de oito meses numa cama por causa de um.
Gosto de estradas, mas ultimamente tenho percebido um aumento de motoristas dirigindo de forma muito imprudente.
Sempre existiram os "pilotos", representados por aquele sujeito que testa o carro numa rodovia, mas esses não me incomodam, na maioria dos casos, sabem o que fazem.São apaixonados por carros e por velocidade.
Tem também os motoristas de caminhão que nunca me botaram medo, afinal são profissionais da área.
O que realmente me incomoda é o "espertinho" que sai cortando todo mundo, que pensa que assim vai chegar mais rápido.Ele é o reflexo dos motoristas inconsequentes que transformaram o trânsito das nossas cidades em algo caótico.
E é por causa deles que agora temos radares de velocidade em todas as esquinas.Eu preferia andar um pouco mais rápido, mas até concordo em andar mais devagar se for para melhorar o trânsito em geral, porque do jeito que está não dá para continuar...


3.8.15

Estou voltando...e com a mente em efervescência!!!



29.7.15

Vou de férias!!!!
Mas deixo aqui uns videos para quem gosta de Cinema e Psicologia.






26.7.15

Final de semana existe para descansarmos...só que não!
Depois das quase oito horas de filmagem de ontem eu devia ficar bem quietinha, aproveitar o frio, ler um livro ou assistir um filme, mas não...vou testar receita...na cozinha, porque no crochê estou com três receitas em andamento que pretendo terminar na semana que vem, enquanto de férias.
Serão só cinco dias, mas se eu não der uma parada vou ter um troço. E nessas horas preciso sair, mudar de paisagem, ir para aonde o celular nem pega direito.
Já coloquei na mala dois livros, um do Tolstói e outro de um amigo, em fase de produção ainda.A primeira versão, sem cortes, que é esta que tenho em mãos, já está na editora.
E muitas lãs e agulhas!!!
A receita teste de hoje será bobó de frango com mandioca.


(update: a receita fica sensacional e como eu não tinha coentro substituí por cheiro verde)
E a trilha sonora:

22.7.15

Gosto de desafios!
Eu editava meus videos com um programa da Pinnacle, só que deu pau na minha máquina e perdi tudo.Procurei o meu programa original e não encontrei. Tá perdido aqui em casa...
Peguei um Premiere emprestado.
No começo apanhei um pouco, mas agora já estou pegando o jeito.
Gosto do que faz meu cérebro funcionar no limite...como também gosto daquilo que o faz relaxar.
Nos momentos de maior atividade abraço mais coisas do que aparentemente dou conta.Depois não sei porque me canso...ando numa fase assim, mas me prometi descansar e desacelerar à partir do final de agosto.

19.7.15

Bom dia!!!
O dia amanhece mais feliz com a presença intensa do astro rei.
Ontem abusei um pouquinho e hoje meu joelho reclama.Por sorte é domingo e terei tempo de me recuperar.
Foram quase cinco horas de gravação.A pláteia estava empolgadíssima e tivemos de encerrar o evento com a sutileza de um elefante.


O tema abordado é riquíssimo e os entrevistados super capacitados para desenvolvê-lo.


Me (re)descobri uma pessoa extremamente ética e talvez por isso me incomode tanto com o que vejo ao redor.


Apesar de ter sido um encontro prá lá de agradável, a cabeça não pára e fico refletindo sobre o assunto. Fico pensando em certos filmes, nas histórias que eles contam, no herói, naquilo que o leva a lutar, nas consequências de suas escolhas e etc. Inevitavelmente toda ação, neste sentido, leva a uma reação.E é aí, durante toda esta reflexão, que percebemos o quão éticos somos.
Resolvo dar um tempo, escuto umas músicas, para depois (re) organizar os pensamentos...
E Debussy surte um excelente efeito!

18.7.15

Gosto de capricho e de bom gosto, nasci assim.
Embora o gosto seja algo pessoal, dizem que tenho um excelente olhar.
Que sei combinar cores, texturas, imagens e até gente.
Ando doidinha para pegar uma estrada.
Se me perguntassem hoje: você pode ir somente para um destino, continente europeu ou americano, qual eu  escolheria?
Europeu e por Barcelona.
Não por causa da cidade mas sim porque quero voar com a Singapore Airlines outra vez.
Porque além de um serviço excelente, o uniforme das aeromoças é maravilhoso!!!
Eu sei, motivo meio sem sentindo, né?
Mas eu tenho dessas coisas...



17.7.15

Nem acredito que chegou a sexta feira...a semana passou muito rápido!
Não pode não, ainda quero fazer um monte de coisas até amanhã à tarde.Gravo neste sábado e no próximo.As gravações da websérie estão chegando ao fim e acho que conseguimos mandar bem o recado: pessoas de diversas áreas do conhecimento falando sobre cinema.
Só depois arrumarei uns dias para dar uma escapadinha e ver o mar!!!
Navegar vai demorar mais um pouquinho...talvez no próximo ano.
Minha fisioterapia têm sido puxada...dizem que a gente se acostuma...eu ainda não vi sinais de estar me acostumando.No segundo semestre o cara metade sai para suas expedições na selva e eu preciso recuperar minha independência.


Não sei se foi mesmo o grego Epicuro que disse as palavras acima.Ele costumava dizer que no caminho da felicidade encontramos dores e prazeres.Então faz algum sentido que a frase seja atribuída à ele.
Gosto de me imaginar navegando...me dá prazer, mesmo que isto signifique correr o risco de encontrar tempestades pela frente.

11.7.15

Rumo aos 50 e estou me sentindo ótima!!!
E fazer aniversário no dia seguinte a um feriado facilita as coisas...as comemorações estendem-se por dias...
Me sinto mimada e feliz!
E a idade nos traz uma bagagem sensacional.Sou o resultado de todos esses anos de aprendizado, de dores, amores e perseverança.Há também um tanto de resiliência em mim.
Sou extremamente grata.
E falando em gratidão, passeando pelo youtube encontrei esse maravilhoso dueto:



Prá escutar muita e muitas vezes, repetidamente, fechar os olhos e experimentar cada nota, cada palavra.
Enjoy!

Ah...encontrei outra aqui:

9.7.15

Ansiosa por natureza, nem os exercícios conseguem mudar isto, encontro no crochê uma forma, se não de relaxar, de direcionar toda essa energia concentrada.Do último final de semana prá cá fiz três toucas! Isso sem contar as artes na cozinha, o trabalho regular, os exercícios diários e a coprodução de mais quatro episódios de uma websérie. Além dos filmes que vou assistindo pelo caminho.
Quebra cabeças também funcionam.Descobri uma versão online no FB. Faço um atrás do outro até os olhos não aguentarem mais.A coisa é compulsiva mesmo.
Mas é assim que sei me sentir viva!
O que me relaxa, então? A água..o contato com a água tem um poder transformador.E algumas músicas:

8.7.15

Algumas verdades precisam ser ditas: