19.11.16

Eu AMO comemorar aniversários...
Gosto de celebrar a continuidade, acho importante valorizar o que passou como forma de garantia de um bom futuro, embora essa nossa vida não passe de uma grande ilusão, aonde não possuímos nada e nem controlamos coisa alguma.
Mas é assim, com a certeza de nada, que acredito que o amanhã pode sempre ser melhor que o hoje.
E é isso que eu desejo para todo mundo!

16.11.16

Ontem o dia foi leve...um almoço bem tarde, sem pressa, com pessoas queridas e depois um bate papo que se estendeu até a noite.
O pretexto foi o aniversário do meu filho e tudo, absolutamente tudo, transcorreu em perfeita harmonia.
Foi o tipo de encontro em que todos saem carregando uma enorme braçada de boas energias!!!
Numa casa com 4 gatas, 4 filhotes, 4 cachorros e mais dois cães visitantes fica parecendo mentira dizer que não houve um entrevero sequer.
Fazendo as contas era praticamente um animal para cada pessoa!
Ah...se todos os dias fossem assim certamente o mundo seria bem melhor...

 

11.11.16

Um dia a gente acaba, e é assim de repente!
Estou feliz com os preparativos do aniversário de 80 anos do meu pai, que nem são tantos assim, pois os convidados são poucos.O importante é que ele está animado e nem importa se depois de algumas semanas ele não vai mais se lembrar.
Melhor ainda é que ele ainda está aqui conosco.
Assim faz muito sentido não reclamar das pequenas coisas.
Hoje, sinto que Leonard Cohen tenha nos deixado, mas enfim, é o destino de todos nós.
O bom é que ele está bem próximo, através da sua música.

10.11.16

Ontem tive que ir à capital!
Agradeço não estar dirigindo senão a tortura teria sido maior.Fazia muito tempo que eu não ia para São Paulo num dia útil, fiquei impressionada com o trânsito.Das 6 horas que passei por lá, 4 foram no banco do carro. Fui a três endereços não muito distantes um do outro, numa linha reta não eram mais que 10 km entre eles.
O que vi foram ruas e avenidas congestionadas, falta de respeito, pessoas carrancudas e estressadas.
Além de que encontrei uma cidade muito mal cuidada: suja, depredada, pichada e etc.
Portas fechadas e com placas de aluga-se ou vende-se chamaram a minha atenção.
As filas nos pontos de ônibus e trens traduzem a precariedade do sistema de transporte.
É...me tornei mesmo uma pessoa do interior...não saberia mais viver na cidade em que nasci.




6.11.16

Quando penso na fragilidade da vida é que me vejo mais sozinha, porque o morrer é solitário e devíamos estar preparados para este processo desde que nascemos.
Estive com uma amiga muito querida na sexta à noite cujo irmão mais novo está muito mal.Há quinze dias ele deu entrada no hospital, passou por uma cirurgia para retirada da um tumor enorme do cérebro e agora aguarda a recuperação de uma infecção pulmonar para iniciar a radioterapia.Seu corpo está parando aos poucos e neste processo o tempo é essencial.Minutos parecem dias...
A dinâmica familiar que se instala beira o caos, envolve além de tristeza, culpa, desespero, revolta e aquela repentina fé cega que nos acomete em momentos assim.
Pude ajudar com açucar e afeto.Ela saiu até que bem aqui de casa, mas no íntimo está destroçada.
Perdi o sono esta noite porque sempre deixo um pouco de mim na tristeza daqueles que estimo.
Estou torcendo por um milagre!

4.11.16

Nossas conexões neurais são fantásticas, eu adoraria estudar como funciona o cérebro embora eu acredite que muitas das minhas perguntas ficariam sem resposta.
Abro o facebook e me deparo com uma frase que retrata o que eu ando vivenciando:

 
2016, certamente, foi o meu ano de distanciamento.
Cheguei à conclusão que andava muito sociável, talvez pela facilidade do estar perto, mesmo estando longe, que as redes sociais (e a internet de um modo geral) proporcionam. Estava me relacionando com pessoais que nada tinham em comum comigo.Neste sentido sou bem low profile.
Ao me distanciar senti um alívio!
E as pessoas com quem realmente tenho uma certa identificação continuam me chamando para um café.
Me falta tempo, mas não vontade!
E me prometi sair um pouco da concha e tomar café com elas, hoje mesmo marquei um chá em casa depois do expediente.
Em 2017 (primeira promessa de ano novo) vou investir mais nas trocas presenciais!

25.10.16

A natureza é linda mesmo!!!
Me deslumbro com algumas coisas como a beleza do nascimento.Depois da chuva torrencial que caiu por aqui passei a madrugada auxiliando minha gatinha mais nova a trazer ao mundo 4 lindos filhotinhos.



As outras gatas são castradas, mas esta escapou, aos 8 meses já estava carregando gatinhos no ventre.
O primeiro nasceu perto da meia noite.O segundo deu um pouco de trabalho e eu achei que não fosse sobreviver, mas depois de um tempinho acabou miando e está indo bem.O terceiro nasceu por volta das 2 horas e o quarto e último depois de uma hora e meia.
Foi uma madrugada animada! Contei com a ajuda do meu filhote que ficou um bocado preocupado quando o segundo gatinho entalou.Mas demos conta do recado e passam todos bem.
O cara metade terá uma grande surpresa quando voltar.
Agora, cansada embora feliz, preciso trabalhar para garantir o leite dos gatinhos!

24.10.16

Enfim a chuva que lava a alma...a verdade é que os degraus lá da frente de casa desapareceram, mas não tem importância, as plantas agradecem e eu também!
E é mais ou menos assim que eu amo a natureza:

23.10.16

Outro dia uma amiga me confidenciou, como se eu dominasse o assunto, que andava preocupada pois andava sonhando muito com um tal fulano.
Queria saber se estes sonhos tinham fundamento, se por acaso não seria uma manobra do seu subconsciente, um sinal, ao estilo Freudiano, de que havia algo para ser resolvido. Se por acaso, não seria mais uma manifestação de um desejo primitivo do que algo mais racional?
Eu, que não entendo muito sobre o assunto, e tentando ajudá-la de alguma maneira, pedi detalhes do sonho.
Ela ia descrevendo-o, maluco de tudo, e eu ia construindo a imagem.A presença dele era fortíssima no sonho dela.
Depois de um tempo ela me pergunta:
- E aí? O que você acha?
Ao contrário do que ela dizia, aquilo tudo me parecia tão bem resolvido, embora o que fugia do lógico e racional eu não conseguia relacionar com o relacionamento deles, nem ela.
É que na prática eles não possuem um relacionamento assim estabelecido, não é nada concreto.
- Quer saber o que eu acho?
- Fala logo!
Eu, que pouco sonho, respondi, através do teclado minúsculo do celular :
- Acredito que de alguma forma, em alguns casos, somos atraídos para os sonhos das outras pessoas.Pode ser que você estivesse no sonho dele!
Hoje,depois de mais de uma semana, ela me disse que eu não devia ter dito isto porque de lá prá cá ela não pára de pensar nele.Que ele não sai da cabeça dela...ou seja, ele já devia estar lá há muito tempo!
Ela me perguntou como faz para tirá-lo de lá.
Achei melhor não dar palpite!


22.10.16

Psssssss....só escute!
(Feche os olhos)


Peraí, não abra ainda:

Não sei bem o que anda acontecendo com a nossa sociedade...éramos muito mais livres!
Falávamos menos e fazíamos mais.
Uma geração inteira fumou, bebeu, tirou a roupa na cama e na piscina.Morreu quem tinha que morrer e muitos sobreviveram.Eu penso que ao querer consertar o que estava aparentemente errado, a sociedade errou a mão e se perdeu.
Antes, o moralmente "proibido" era tabu, hoje é quase um crime passível de pena de morte.
E para quê? As estatísticas mostram números alarmantes de acidentes de carro por embriaguez, consumo de drogas e violência sexual.
Não era mais fácil ter deixado tudo às claras, aumentando a orientação e diminuindo a repressão?
Não que tudo fosse permitido em casa, mas fui muito bem orientada e bem avisada que, em qualquer situação, eu iria arcar com as consequências dos meus atos. Parece que funcionou!
Fumei e parei por vontade própria, bebi sempre com moderação e aprendi que o sexo era algo natural entre duas pessoas que se amavam.Demorei mesmo foi para entender que pode existe mais de um amor na nossa vida.
Apesar de não ter corpo de modelo nunca tive vergonha de tirar a roupa, afinal até a televisão nos incentivava à isto. E eu fiz parte de uma geração que estava no auge da ebulição dos hormônios quando a Ellus lançou a seguinte campanha:


Aposto que muitos que vivenciaram a adolescência naquela época quiseram experimentar namorar debaixo d'água. E me digam uma coisa : que mal há nisso?
Nos dias de hoje talvez este comercial não passasse pela censura (aquela que não existe).
Fico um pouco irritada com a onda do politicamente correto quando as pessoas deixam de lado o bom senso.
A vida é curta, a felicidade efêmera, então vamos matar a vontade de tudo aquilo que não nos prejudica tanto assim como dizem!

20.10.16

Sinto falta de desenvolver meus textos....falta-me tempo e um pouco de inspiração.
Estanquei na formatação de um roteiro sobre dois senhores, torcedores de times opostos que acabam trabalhando suas frustrações conforme os resultados de um campeonato de futebol.O texto foi escrito por "meninos" e eu fui incumbida de formatá-lo.
Um outro trabalho é sobre uma personagem de uma série televisiva, super problemática, tão centrada nela mesma que não deixa espaço para outras pessoas na sua vida.Praticamente uma antítese minha.
Normalmente não tenho problemas para escrever sobre qualquer tema, mas é que eu estava querendo escrever algo doce, sobre um amor bonito, daqueles de doer.Porque com a idade vamos nos afastando dessas "bobagens", tudo vai se tornando meio engessado, sério demais!
Nunca escrevi sobre um amor assim e acho que estou precisando de um pouco de leveza e fantasia.
Queria enveredar por esse caminho.Talvez eu devesse começar a escrever uma terceira história.
E ela teria a cara desta música:



11.10.16

Toda vez que o Paulinho Moska canta este trecho da música, eu concluo:
- Quem nunca pensou assim pelo menos uma vez na vida, com certeza, não viveu!



7.10.16

David Foster não é somente um talentoso arranjador.
Ele é também um compositor genial, pianista apaixonado e um sujeito encantador.
Eu gosto de pessoas encantadoras!


1.10.16

A paz que eu desejo ainda é algo distante.
Mas sou uma pessoa confiante.
Embora um tanto radical...enquanto não mudarmos os políticos, ou mudarmos suas mentalidades, a sociedade não irá evoluir.
Esta é uma tarefa de todos nós pois as atitudes de quem nos governa reflete a nossa sociedade, doente. A solução, ainda, não está nas urnas, está dentro dos lares.
Sei que minha geração não verá esta mudança, mas ainda tenho fé nas próximas.
Ou seja, é urgente priorizar as crianças!
Para amanhã fica a pergunta: qual o candidato que realmente prioriza nossas crianças?

27.9.16

Já disse diversas vezes que é muito difícil ser EU.
Depois de assistir trechos do debate de Donald Trump e Hillary Clinton perdi o sono ao lembrar que domingo temos eleições municipais por aqui.
É muito mais fácil optar por votar na Hillary, que está lá na outra ponta do continente, do que escolher um candidato para prefeito e outro para vereador.
Aí recebo um e-mail ofertando produtos de cama, mesa e banho para a nova estação.
É mesmo hora de guardar as cobertas e edredons.
Por diversas vezes quase que comprei colcha de piquet, me remete ao passado, mas na última hora optava por algo mais moderno.
Achei a foto da propaganda bem agradável, dá uma sensação de leveza e gostei do verde da colcha!


Mas gostei mesmo deste tom, foi o que me fez decidir pela compra.


Só que acho interessante dizer que na hora de fechar o pedido, comprei mesmo foi a colcha pink.
Essa sou EU, simplesmente complicada.
Por que eu troquei de cor nos últimos minutos da prorrogação? Não sei bem ao certo, só sei que fui movida por vontade!
Talvez porque eu precise de mais cor para viver...como também não sei viver sem paixão.

22.9.16

Da janela do quarto vejo uma pitangueira tímida, que no ano passado esbanjava flores e frutos.Sinto falta de tamanha exuberância, mas enfim, nem tudo acontece como desejamos.
Se nem mesmo a natureza é constante o que dizer de nós?


Por isso devemos realizar nossas vontades.Assim sendo hoje me dei folga no trabalho para preparar o jantar de aniversário do meu irmão.Afinal todo mundo precisa de um mimo e eu tenho que fazer jus à minha fama de doce Polly.
Passei horas na cozinha, mas teremos pizza, caponata, pão caseiro e pavê de pêssego.


Com uma linda trilha sonora como companhia até cantarolei Chico Buarque:
A noiva do cowboy era você, além das outras três...E você era a princesa que eu fiz coroar e era tão linda de se admirar que andava nua elo meu país...(João e Maria)

17.9.16

Tem dias em que a gente acorda com saudades!
Talvez por conta da súbita morte do ator Domingos Montagner. O que me fez olhar para ele com mais atenção foi o personagem que interpretou na novela "Sete Vidas", Miguel, um ambientalista com uma estreita relação com a Patagônica, com sentimentos conflitantes nas relações amorosas.


Ao comentarem a morte do ator, muitos amigos evidenciaram sua alegria e prazer em viver, e como uma coisa, inevitavelmente, leva a outra, me peguei pensando no que gostaria de fazer se eu fosse morrer em breve.
Eu queria matar saudades!
Não é pedir muito, né?

12.9.16

Voltando à ativa e com força total!!!!
Segundo os astrólogos é Júpiter ingressando em libra.


Em casa todos se recuperando muito bem e no trabalho energias renovadas para enfrentar as tempestades com muita força e criatividade.
Faço planos outra vez e nem me importo se não estou podendo dirigir e que ainda estou andando com ajuda de um andador. E assim vou longe, afinal o que me move não são minhas pernas!
Agradeço a atenção de todos que se fizeram presentes neste meu último período nebuloso.
Que Júpiter em Libra nos veja com olhos de alegria, trazendo bons ventos, fecundos de excelentes oportunidades.
Ah...e boas notícias!

3.9.16

Na semana que passou voltei ao trabalho, ainda com ajuda de um andador, necessário para proteger a articulação do joelho.
Só não consegui ainda voltar a escrever como eu gostaria.Tenho um roteiro parado e estou no desenvolvimento de outro, que é um projeto muito interessante.Com 4 personagens principais, fui convidada para assumir uma.Por enquanto estamos na fase da criação da personagem, então é tranquilo.
Eu tinha uma tia, com quem me comunicava por cartas, numa época em que não existia celular, nem fax símile.Sempre que eu ficava um longo tempo sem escrever ela se preocupava e logo desconfiava que as coisas estavam pesadas.Costumo fica travada quando tenho que resolver muita coisa ao mesmo tempo.Acho que meu cérebro funciona como uma HD sobrecarregada.Enquanto não reorganizo os pensamentos não entra e nem sai nada.
Meu processo criativo anda prejudicado, talvez porque os problemas reais estejam se sobrepondo sobre a ficção.É temporário, eu sei.
Afinal minha escrita é intensa, precisa de vontade, empolgação e muita energia.
Não que meus problemas sejam graves, muito menos sem solução, mas é que são muitos ao mesmo tempo.
Já sei, estou assim porque não estou podendo pegar mais!
Brincadeiras à parte, assim que eu melhorar volto a escrever aqui.