3.3.15

Hoje é dia de chegar em casa, tirar os sapatos, se jogar na poltrona e tentar esquecer que vejo sinais de crise o tempo todo!!!
E todos sabem que quanto maior a altura maior o tombo.Vivemos bons tempos e agora temo o futuro.
Embora continuem maquiando uma estabilidade econômica irreal, os preços estão subindo, pouco a pouco, e automaticamente fugindo do controle.Já houve uma franca desvalorização da moeda, mas enfim está tudo sob controle, não é?
Não posso fazer nada, só esperar...enquanto isso o negócio é trabalhar!
Um dia sonhei que meu país tinha solução, mas me parece que o ser humano, político, é fadado ao fracasso.Algo sempre o corrompe...
O jeito é tentar abstrair e não tem nada melhor que a música:

1.3.15

Finalmente me rendi ao Netflix, na verdade foi meu filho, fã de algumas séries televisivas, que me convenceu.
Assisti um filme aqui, outro alí e acabei experimentando a série The Borgias na noite de sexta feira.Só parei hoje, depois de assistir as três temporadas.
Logo de cara o que me chamou a atenção foi o nome do diretor, Neil Jordan. Ele dirigiu um dos meus filmes favoritos: Fim de Caso.
E no elenco encontrei Jeremy Irons como Rodrigo Borgia e o Papa Alexandre, duas personalidades indissociáveis. Lembrei de seu papel em The Mission, como o jesuíta Gabriel.Eu diria que do filme para a série ele perdeu um pouco do vigor, mas continua trabalhando bem.
A trama possui personagens interessantíssimos como o assassino Micheletto e o influente Maquiavel. Na vida real Maquiavel fez uma referêncìa à Cesar Borgia na sua obra mais conhecida, O Príncipe. Na série ele também elogia o valente Borgia, por sinal, irresistível. São detalhes assim que enriquecem a trama.
Ah...nunca vi uma Lucrécia tão perfeita, doce e mortal.Sua personagem foi extremamente bem escrita!
Tem alguns momentos chatinhos, mas justificáveis pelo formato televisível.
Adorei os figurinos e cenários.
Som e fotografia na medida, pena que acabou!


22.2.15

Falando em Império Austro Húngaro outra vez, porque foi em Praga que Kafka nasceu, assim como algum antepassado meu.Muito conhecido por obras atualíssimas como "O Processo" e  "A Metamorfose", Kafka automaticamente nos remete ao pensar e questionar.Mas não é só isso, é possível abstrair e devanear com o texto que li hoje aqui.

A história de Kafka e a menina que perdeu sua boneca em Berlim, segundo May Benatar:

 “Franz Kafka, conta-se, certa vez encontrou uma menininha no parque onde ele caminhava diariamente. Ela estava chorando. Havia perdido sua boneca e estava desolada. Kafka ofereceu ajuda para procurar a boneca e combinou um encontro com a menina no dia seguinte no mesmo lugar. Incapaz de encontrar a boneca, ele escreveu uma carta como se fosse a boneca e leu para a garotinha quando se encontraram. ‘Por favor, não se lamente por mim, parti numa viagem para ver o mundo. Escrevo para você das minhas aventuras’. Esse foi o início de muitas cartas. Quando ele e a garotinha se encontravam, ele lia essas cartas compostas cuidadosamente com as aventuras imaginadas da amada boneca. A garotinha se confortava. Quando os encontros chegaram ao fim, Kafka presenteou a menina com uma boneca. Era obviamente diferente da boneca original. Uma carta anexa explicava: ‘minhas viagens me transformaram…’. Muitos anos depois, a garota agora crescida, encontrou uma carta enfiada numa abertura escondida da querida boneca substituta. Em resumo, dizia: ‘Tudo o que você ama, você eventualmente perderá, mas no fim, o amor retornará de uma forma diferente’.”


Imagem: Shintaro Ohata

Impossível não pensar em Lavoisier: Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Filosoficamente estes pensamento são perfeitos e somente dessa vez deixemos tudo assim como escreveu Kafka, sem questionar!

A trilha sonora para a manhã de hoje foi composta por um vizinho muito talentoso: Fabiano Negri



Uma excelente semana para todos!!!!

19.2.15

Logo cedo me lembrei daquela frase famosa do Desafio da Esfinge de Tebas: Decifra-me ou te devoro!
Ela simplesmente devorava quem não respondesse ao enigma que hoje todo mundo conhece:
"Que criatura tem quatro pés de manhã, dois ao meio dia e três à tarde?"
Édipo acertou a resposta.
Meus neurônios continuam fazendo umas conexões aparentemente incompreensíveis.
Aí o dia passou, esqueci da tal frase e à noite me deparo com esta outra de Clarice Lispector:
"Decifra-me, não me conclua, eu posso te surpreender".
Não conheço a fonte, não tenho certeza se Clarice escreveu estas palavras, mas enfim, me caíram como uma luva.
A segunda versão, de Cecília, ou não, traduz melhor quem sou hoje.


17.2.15

Como boa parte do meu DNA (25% que muitas vezes parecem 75%) vem lá de Trento, na Itália, as massas sempre foram presença constante na mesa,O gosto pelo strudel de maçã também, herança do Império Austro Húngaro, antes do Tirol ser dividido e Trento tornar-se território italiano.
E como antigamente tudo que se colocava na mesa era produzido em casa, todas as mulheres da família aprenderam a fazer macarrão.Sinto informar que sou a última desta linhagem.Faço tagliarini e lasanha, que na verdade é somente uma questão de corte.



Apesar de amarem minha lasanha, que é muito boa mesmo, eu gosto é de manicaretti, que basicamente são almofadinhas feitas com massa de lasanha, montadas como envelopes, recheadas.




Aproveitei o feriado para produzir.
Não, não fiz a massa, comprei pronta.Afinal já havia produzido esfihas e bolo, além de lanchinhos naturais e salada de frutas.
Voltando ao manicaretti, o recheio: bacalhau (da minha ascendência portuguesa, é claro).
No ano passado comprei no supermercado iscas de bacalhau, aquelas partes que não pertencem ao nobre lombo. Desalguei-as, retirei as poucas espinhas que encontrei, dei uma leve fervida nelas e depois foram para o freezer.
Hoje foi só descongelar e refogar.Em cada pedaço de massa coloquei uma fatia fina de mussarella e uma colherada generosa do refogado.Depois de fechados os envelopes, coloquei os manicarettis em um refratário e cobri com molho branco e parmesão ralado.Gratinou e pronto!
Não ficou bom, ficou excelente!!!

14.2.15

Sumiiiii....andava meio estressada e como sob pressão eu produzo melhor, me joguei no trabalho!
O resultado foi excelente.Chego no feriado de Carnaval cansada mas extremamente satisfeita.     Agora é só relaxar até a quarta feira de cinzas.
Elaborei três curtos roteiros na última semana a pedido de um colega que dará um curso de Set de Filmagem neste final de semana.Um deles tinha como tema a quase morte da poesia.
Pesquisando aqui e alí passei horas com Edgar Allan Poe.Um pouco dark em O Corvo e maliciosamente vingativo em O Gato Preto, Poe tinha coisas um pouco mais leves como o poema Alone:

"Não fui, na infância, 
como os outros e 
nunca vi como outros viam. 
Minhas paixões eu não podia 
tirar de fonte igual à deles; 
e era outra a origem da tristeza, 
e era outro o canto, 
que acordava o coração 
para a alegria. 
Tudo o que amei, 
amei sozinho.(...)"




8.2.15

Toda vez que ando pensando em me mudar é porque estou precisando de férias.
Novembro e Dezembro foram meses super produtivos, mas desde que o ano começou são só problemas.
A maior parte por conta de muita falta de comprometimento e profissionalismo alheio.
Estão jogando a toalha, parecem que todos resolveram apertar a tecla "Foda-se".
Nada funciona!
Vira e mexe falta água ou luz.Minha mãe está sem telefone e internet há uma semana por "problemas na rede", sem previsão de restabelecimento.Aqui em casa caiu uma árvore da rua sobre o fio de força há mais de dez dias e a Companhia de Energia Elétrica diz que só pode executar o reparo quando a árvore efetivamente partir o fio, ou seja, quando ficarmos sem força.
Fornecedores não cumprem prazos, os Correios estão em operação tartaruga atrasando constantemente nossas correspondências, o que inclui as contas que chegam vencidas e teoricamente o problema é nosso.
A inflação está aí devorando nossos rendimentos.O povo, pelas ruas, anda mal humorado e mal educado.O trânsito anda cada dia mais caótico.
Nossa comida cada vez menos natural e nossa água, pouca, mais poluída.
Ando me irritando com os noticiários, não tem nada de bom.
Ou seja, estou precisando de férias e contando os dias para o final de Março.


4.2.15

Canções de ninar:


Hoje foi um dia mais ou menos, nem sei se mais mais ou mais menos.
Foi tudo meio corrido, atravessado e quando olhei no relógio a tarde já havia acabado...
Preciso de um pouco de música para relaxar e principalmente para me desligar!

3.2.15

Eu sempre fiz tudo nesta vida com muito cuidado...me concentrando em demasia, à ponto de morder a língua sem perceber...outras vezes pensando demais...mesmo assim não escapei de me torcer e me quebrar algumas vezes.
Por outro lado nunca engasguei com espinha de peixe e coisas do gênero.
Nunca tive insolação, nem dor de dente!
Mas...como aconselha o mestre:

Esqueça essa história de querer entender tudo.
Em vez disso, VIVA,
em vez disso, DIVIRTA-SE!
Não analise, CELEBRE!

ou então:

Opte pelo que faz o seu coração vibrar!

OSHO


31.1.15

Hoje foi dia de voltar no tempo.
Meu primo veio almoçar conosco.Tenho muitos primos mas acho que só este chamo de meu.Crescemos juntos e sou seis meses mais velha que ele, o que talvez justifique nossas afinidades.
Depois do almoço nos sentamos em volta da mesa da sala, cercados de fotos de família que minha mãe andou desenterrando por aí. Fotos de gente que nem conhecemos, como, por exemplo, nossa trisavó materna.
É certo que a família sempre gostou de fotografia e de alguma forma elas acabaram nas mãos da minha mãe e agora nas minhas.Levarei muito tempo para escaneá-las.Com certeza será um trabalho adorável.São fotografias dos anos 20, 30, 40 e daí por diante.Tem uma da minha trisavó que pelas minhas contas deve ser de 1890 e borrachinha, extremamente rudimentar.
Era assim que eles iam para a praia em 1925.


E nos anos seguintes:


Minha mãe não quis ficar com as fotos porque diz que as lembranças, hoje, não lhe fazem bem.
Nem vou discutir.
Eu, ao contrário, adoro rever o passado!

30.1.15

Não posso, em hipótese alguma, reclamar do meu horário de trabalho.
Tenho o privilégio de poder chegar no escritório até as 10 da manhã e sair por volta das 4 da tarde.E em algumas sextas feiras ainda trabalho só de manhã.
Mas quando o bicho pega....saio de casa às 7 da manhã e volto só às 7 da noite, se tudo der certo.Quando pego estrada a coisa também não termina cedo.
Honestamente, com a idade e o calor, chego em casa em frangalhos. Juro que admiro a pessoa que fica doze horas fora de casa e quando chega ainda tem disposição para sair e etc.
Como dizem por aí: até que enfim é sexta feira!!!
Mas vamos trabalhar que hoje ainda tem a continuação de ontem...

29.1.15

Bom dia, vida!!!

"De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua."

Sophia de Mello Breyner Andresen

27.1.15

Huhuuuuuu...nada como sentar-se calmamente na poltrona para assistir o telejornal da noite ( enquanto posso). Num dado momento pensei que fosse precisar de amarras para não cair dela...
Como assim, rodízio de 5 dias sem água para 2 com??? A vizinha argentina pede a energia "emprestada" de volta???? E agora falta água também em Minas e no Rio de Janeiro????
Acho que perdi algum capítulo sobre a administração da água e da luz no país, outro dia mesmo os problemas eram pontuais e atingiam somente o Estado de São Paulo, o que já era muito....se bem que cansei de falar que uma hora ia faltar tudo mesmo, logo mais serão os alimentos.


Mas não se preocupem com a falta de comida porque muito antes disso instalar-se-á  o caos com a falta de energia e água!
Tô parecendo um dos cavaleiros do apocalipse, né?
Mas quero ver ficar sem energia num mundo aonde tudo é conectado por tomadas e sem banho num país tropical...e vejam bem, nós os seres humanos, somos apenas a ponta do iceberg.


Tela de Satyro Marques
O que faz seu coração bater mais forte?
O meu pipoca dentro do peito feito louco de paixão e de raiva...parece feio admitirmos que sentimos raiva, não e´?
Pior é nos enganarmos.Prefiro ter certeza que gostaria de esganar umas pessoas de vez em quando...porque na verdade toda raiva passa.
Mas vamos falar da paixão, então!
Música, beijo, lembrança, sons, cheiros, aplausos...tudo isto faz meu coração disparar num tum tum tum alucinado.
Ele bate um pouquinho mais forte quando inicio um novo projeto, mas aí é ansiedade mesmo.
Estou acelerada hoje...reescrevendo dois roteiros e criando um terceiro para um curso de set de filmagem na semana do carnaval.Nessas horas a música ajuda muito, funciona como combustível.
Fui criada em uma casa aonde tinha um gramofone, um pouco surrado e desbotado, e dele saiam sons mais ou menos assim:



Esta aqui é prá deixar a alma mais leve:

 

25.1.15

Domingo lindo de viver!!!
Um dia tão bonito só pode se despedir assim...

24.1.15

Já encontrei lugar na minha agenda, no final de Maio, para um passeio que ando querendo fazer há tempos: um dia de visita ao Templo Kadampa.
Uma querida amiga sugeriu o programa e eu aceitei sem pensar duas vezes!



23.1.15

Trabalho concluído e entregue!



Foi uma experiencia maravilhosa...trabalhar com arte em movimento é o que há de melhor :o)
É pura energia e da melhor qualidade!!!






Tive uma semana corrida, extremamente cansativa mas até que tranquila...sinto porque não pude tomar um cafézinho com as amigas;E depois de algumas coisas que andei planejando nestes dias, até maio não consigo tomar nem um chá, quanto mais um café ...mas enfim, não posso reclamar!
Prá fechar a sexta feira uma música muito bonitinha.
E também porque acho lindo homens que sabem fazer declaração de amor :o)



Mudando o clima, da água para o vinho:

22.1.15

Eu me divirto...sou dada a fazer determinadas afirmações com muita segurança, como hoje, por exemplo, quando disse que não conseguiria voltar a viver numa cidade como São Paulo.Quem me escuta até acredita! Na verdade até eu acredito nestas minhas certezas.
Só que a vida é uma caixa de surpresas...e honestamente não conheço quem consiga predizer o futuro com exatidão. Acho mais poético acreditar que vou para onde o vento soprar ;o)
Tenho outra tendência também, a de tergiversar...quando não tenho as respostas vou fazendo rodeios e mais rodeios até mudar de assunto.Porque embora muito pareça eu não sou a dona da verdade, nem quero ser.
E a vida da gente recomeça todo dia e hoje foi o meu dia de colher alguns frutos que plantei.Entreguei as fotos do espetáculo que fotografei no final do ano e estou me sentindo plena, realizada, valorizada e feliz!
A vida é boa demais, só posso agradecer mais e mais...
Se me perguntassem se quero voltar no tempo, não, não quero...quero um presente como este.
Dizem que Epícuro dizia que as pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.


21.1.15




Maria Bethania fez um sucesso danado quando eu tinha por volta de uns 14 anos.
Escutava esta música e tentava compreendê-la.Por puro prazer de interpretação de texto.
Hoje não preciso mais entender o que o Chico quis dizer.
Só sei que gosto muito destes versos e isto basta:

"Se lembra do futuro
Que a gente combinou
Eu era tão criança e ainda sou"

Esta aqui então, do jeito que as coisas andam, certamente seria censurada, ou melhor, classificada como inapropriada para garotinhas..



20.1.15

Tem pessoas que nos trazem leveza e frescor...este último anda meio difícil por aqui...mas enfim, o video abaixo me trouxe o que eu mais precisava, uma deliciosa pausa!
E nada como apreciá-lo com a casa em silêncio e o volume nas alturas, porque eu mereço.