29.4.13

Sabe aquela cena de filme na qual o mocinho é mordido por um inseto no meio da floresta, passa dias delirando por causa da febre alta , e com muita sorte, sobrevive.
Pois é, meus últimos dias não foram diferentes.
Na madrugada de quarta para quinta, como toda pessoa que já passou dos quarenta, levantei no meio da noite, no escuro , para ir ao banheiro.A coisa toda vai tão no automático que nem mais acendo a luz.Tenho saudades do tempo em que a bexiga aguentava até o dia amanhecer.Imagino que chegando aos sessenta a coisa piore, e talvez seja este um dos motivos das pessoas mais velhas não gostarem muito de tomar água.
Voltei para cama e não sei precisar exatamente quando, começei a sentir um ardor no tornozelo. Ainda dormindo dei uma sacodida no pé prá cá, outra prá lá, e voltei a dormir.De manhã o local estava dolorido e vermelho.
O negócio foi crescendo e foi crescendo e eu batendo perna prá cima e prá baixo, 100 km de estrada prá lá, mais 100 km de  estrada prá cá e quando vou ver a dor no local aumentou e a vermelhidão atingiu todo o tornozelo.E a coisa continuava subindo!Só aí me dei conta que alguma coisa não estava certa.
Fui à médica.Conclusão: algum bicho me picou.Saí do consultório medicada até as tampas: antibiótico, antiinflamatório, analgésico e antialérgico.
Iniciei o tratamento na quinta à noite e logo cedo na sexta feira eu batia os dentes com 38,6 graus de temperatura.Liguei prá médica e a resposta dela foi: - Dobra a dose de tudo!
Confesso que fiquei um pouco preocupada com a carga de medicamentos mas dobrei.Depois de um dia inteiro telefono outra vez para dizer que a temperatura continuava a mesma.A resposta da médica: - Insiste na medicação, coloca gelo na perna e espera o organismo reagir!
Aqui entra aquela cena do filme, o ser humano deitado, ardendo em febre e o mundo girando ao redor.Eu não tinha vontade de levantar, de comer, de ler, de navegar, de nada.
Somente no domingo é que acordei sem febre, mas fui dormir com 37,6 graus.
Neste instante comemoro 14 horas sem febre e continuo sem saber que bicho me mordeu. Matei uma pequena aranha amarela no quarto, escondida embaixo da poltrona, durante o final de semana.
O vermelho da perna, que chegou quase ao roxo, está começando a clarear e eu já consigo movimentar os dedinhos do pé. Ainda doem um pouco o tornozelo e a panturrilha.Sinceramente, eu acho que se uma criança tivesse levado uma picada dessas, morria.
O mais estranho é que não dá para identificar a picada porque o local permanece inchado, aparentemente é só uma área vermelha com um ponto levemente mais escuro no centro.
Estou de repouso até quinta feira!
Vou aproveitar e tomar um banho de sal grosso e alfazema...


2 comentários:

Lucia Luz disse...

Que loucura!!
E acho que não saber o que picou aumenta a ansiedade.
Melhoras para você e toma o banho sim.
Beijinhos

Lucia

Turmalina disse...

Obrigada, Lucia, querida!!!Quando pequena eu era alérgica a picada de formiga.Bjos