7.3.11

Uma dia cinza, enquanto espaireço bordando, vou pensando em amanhã, que é quando celebra-se o Dia Internacional da Mulher. Mesmo sendo da opinião de que o dia da mulher deve ser todo dia, vou cedendo à movimentação dos meios de comunicação e me pego pensando nas grandes mulheres que conheço.
Já faz um tempinho que freqüento como voluntária e colaboradora uma Casa de Apoio (antigo orfanato) para crianças portadoras do HIV e outras questões que necessitem de uma atenção especial. A unidade é assistida pelo Centro Corsini e administrada com muito carinho, profissionalismo e competência pela Dra. Silvia Bellucci, médica infectologista de quem sou fã incondicional.Não tenho vergonha em afirmar que aonde ela for eu vou.
Na entrevista que pode ser lida clicando-se no nome da Dra. Silvia logo acima, ela diz:
- A UAI (Unidade de Apoio Infantil) é o setor do Corsini que arrebenta nosso coração!
E é lá que vive um pedacinho do meu. Por mais corrida que seja a minha vida, por mais problemas que eu possa estar vivenciando, um pedaço de mim está sempre lá. O abrigo tem capacidade para 20 crianças e já chegou a contar com 23.

3 comentários:

ameixa seca disse...

Há mulheres que merecem a nossa homenagem todos os dias :)

Blondewithaphd disse...

Passou-me completamente ao lado o Dia da Mulher. Mas completamente.

Turmalina disse...

Ameixinha e Blonde...vamos manter aquela coisa do dia da mulher ser todo dia! Ainda existe muita coisa no mundo para a mulher ser verdadeiramente respeitada...e eu sou extremamente otimista :o)