26.8.10

Ai, que dureza...mal nos despedimos do amigo que citei no post anterior, uma amiga do abrigo me manda uma mensagem dizendo que um dos meninos, o M.L.de 4 anos, havia falecido nesta manhã.


Aí eu desabei... minha reação pode até parecer exagerada, principalmente quando cuidamos e amamos crianças com algumas dificuldades de saúde. Mas é que normalmente elas passam mal, são internadas e depois de alguns dias falecem.É triste, doído, mas existe o consolo de que foi feito todo o possível. Não foi a primeira e nem a última criança do abrigo à nos deixar.
Mas esse me pegou de surpresa. Ele usava uma traqueo desde que nasceu e finalmente ele ia retirá-la. Estava tudo certo, o que possibilitaria que ele comesse alimentos sólidos e falasse.Tudo bem que seu sistema cardio respiratório era meio fraquinho, mas ele sempre resistiu muito bem à todas as crises anteriores.
E hoje foi tudo muito rápido, ele acordou, teve dificuldades em respirar, a enfermeira tentou ajudá-lo mas infelizmente ele nos deixou, rapidamente, assim como um suspiro mais profundo.
O médico que lhe prestou a primeira atenção disse que muito provavelmente ele não sofreu, porque foi muito rápido.
É, quem está sofrendo sou eu e todas as pessoas que conviviam com ele direta e indiretamente, porque ele era um anjinho.Sempre sorrindo e sempre aplicado.E apesar de todas as suas limitações, porque ele era down também, fazia questão de fazer tudo com amor e dedicação. Ele era uma lição de resistência e persistência.
Só sei que:
- M.L., vou sentir falta do seu sorriso, do seu abraço apertado e do seu carinho exagerado.

2 comentários:

ameixa seca disse...

Os meus sentimentos!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Deixou-me sem palavras...
Um beijo