25.8.09

Fragmentos da infância

Ah...a Geni. Desligo o telefone com uma pontada de saudade da infância. Geni foi babá dos meus primos e como eu vivia por lá acabei pegando um pouco dos seus mimos.Minha tia, casada com advogado tinha babá e morava na Rua Rio de Janeiro, endereço elegante da capital paulista. Minha mãe, casada com jornalista morava prá lá das bandas da Av. Angélica e não tinha babá. Não foram tempos ruins, nunca nos faltou comida à mesa, uma boa escola, cadernos,viagens, livros, discos, roupas e calçados. O que fazia a diferença entre a nossa casa e a da minha tia eram aqueles pequenos luxos, como a Geni. Ela praticamente me viu nascer e acompanhou meu crescimento até meus 18 anos. Quando morei sozinha na capital, dos 17 aos 18, era lá que eu pedia abrigo quando sentia saudade da comida de mãe. E assim Geni sabia de tudo, da faculdade aos namorados. Aí mudei-me para o interior, meus tios faleceram, um primo casou, outro se mudou e a Geni sumiu. Há 3 anos quando a mulher do meu primo caçula ficou grávida , eles reencontraram a Geni e ela voltou à trabalhar para eles. De lá prá cá sempre nos falamos e hoje ela estava comentando exatamente como eu "cresci". Ah...a Geni...

Um comentário:

Veroca disse...

Passando prá deixar beijo. Quando descreve sua infância me faz lembrar a minha, sem luxo, mas com tudo que realmenteimportou depois, estudo e viagens principalmente. Sabe que as vezes leio seus posts e vou logo pensando em cenas de um curta metragem? Sério mesmo.A propósito adoro curtas. bjs meus