3.9.08

Por um motivo qualquer, ou talvez por estar gripada e com dor de garganta, meu astral dessa semana não está dos melhores.
Talvez por saber que à partir do dia 13, além da rotina normal, terei a agenda cheia por dez dias, intercalando o papel de pai e mãe, enquanto o cara metade se embrenha na selva outra vez.E isso inclui um campeonato de futebol com jogos importantes em dois sábados consecutivos.
Talvez por não estar conseguindo tempo livre para escrever.
Talvez por estar preocupada com a situação escolar do meu filho que está com problemas em História, Geografia e Português.E o problema todo é sempre a interpretação de texto, que prá mim é algo extremamente natural, acho que já nasci sabendo ler.Eu vejo a dificuldade dele e não consigo ajudar.Em compensação ele é fera nas matérias exatas.Mas o princípio de tudo é a leitura.Agora vou tentar aula particular de interpretação de texto.O mais engraçado é que se eu leio o texto e explico o que está escrito, ele grava. Já o texto que ele lê sozinho é como se não tivesse lido.Até mesmo o que ele gosta.Ele lê hoje a amanhã já esqueceu.
Eu já consultei dezenas de profissionais da área e eles são unânimes: muitas vezes quando a pessoa possui uma alta habilidade específica, como o raciocínio lógico no caso do meu filho, pode haver uma deficiência por outro lado. O negócio é ter paciência e dar todo o apoio possível.
É por essas e outras que hoje cedinho perdi o sono e revi o filme Doce Novembro.Ai aproveitei prá rever conceitos e chorar um pouco... e agora estou bem melhor :o)

2 comentários:

Giane disse...

Oi, Turmalina!!!

Nunca tive talento para exatas.
Nunca precisei estudar para português, história, geografia; em compensação, penava para resolver problemas matemáticos e decorar fórmulas de fisíca e quimíca por mais que estudasse, nada entrava no cerébro.

Enfim, é a Vida (Lei da Compensação, lembra?)- quanto a chorar um pouco de quando em quando faz bem. Vira e mexe faço isso e quando criança, pensava que chorar ajudava a "lavar a Alma" tamanho alívio que sentia depois de uma boa choradeira.
Cá entre nós, penso assim até hoje.

Beijos mil!!!

*Claudinha disse...

Sweet November me deixa desidratada, coro copiosamente, sempre.