4.6.07

Logo eu que digo tanto adorar o frio, tô sofrendo com ele... nem meias de lá são suficientemente quentes!Amanhã saio cedinho prá filmar....brrrrrr.....aproveito e levo uma sacolinha com doações de roupas para as crianças do Centro Corsini. Espero que com tanta coisa prá fazer, sinta menos frio. Hoje, ao sair, mal avistava a paisagem de tanta neblina.Mais tarde, no escritório, a temperatura caiu novamente, estávamos quase fazendo uma fogueira com os móveis mais velhos.
Meu amor pelo frio é mais ou menos assim, segundo as palavras de Vinicius:

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vive-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angustia de quem vive
Quem sabe a solidao, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que nao seja imortal, posto que e chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Bons sonhos numa cama quente!!!

Um comentário:

Claudia * disse...

A cama tem demorado a esquentar mesmo amiga. Se aqui na cidade está assim, imagino aí com você que, embora eu inveje por viver tão próxima à natureza, prefiro nem pensar no frio que faz por aí.

Também gosto de frio, mas tem estado demais.