10.8.14

Mais do que ser uma pessoa íntegra meu pai me ensinou a ser uma pessoa boa.Ele sempre estendeu a mão ao próximo fosse ele quem fosse.Até mesmo aqueles que lhe morderam a mão.Pessoa dura, principalmente consigo mesmo, mas de uma gentileza incomparável.
Até casar-se com minha mãe era um tanto machista.Depois que caiu numa família de mulheres fortes teve de rever os seus conceitos.Me apoiou em todas as minhas decisões, até mesmo quando quis morar sozinha aos 17 anos.Foi lá no cartório e me emancipou. Me ensinou a andar de bicicleta, motocicleta, dirigir todo tipo de carro, atirar e até mesmo trocar pneu.Afinal, um dia você pode precisar!
Me deu livros, discos, máquina fotográfica e máquina de escrever muito antes das outras crianças.Me mimou até não poder mais.
Nunca criticou minhas escolhas e sempre valorizou tanto as minhas potencialidades que se emocionou mais no dia em que assistiu meu documentário sobre a Aids do que no dia em que me casei.
Apesar do gênio forte sempre foi pacifista e um excelente mediador de conflitos.
Se como pai fica difícil definí-lo com umas centenas de palavras, como avó torna-se impossível.
É um homem que com certeza sabe muito mais dar do que receber e eu me orgulho demais dele!

4 comentários:

*Clau disse...

Curti

Turmalina disse...

Clau..e nasceu no mesmo dia do seu pai :o)

*Clau disse...

Pois é, meu pai era assim também, me espelho nele e tento ser pelo menos a metade do que ele foi.

Pena que ele se foi tão cedo, já faz quase 20 anos e ainda hoje converso com ele em pensamento, procurando os conselhos dele para ser uma pessoa honesta e justa como ele sempre foi.

Beijos

Turmalina disse...

Clau querida...que lindo!
Beijos