23.1.12

Toda vez que pego uma gripe dessas eu penso na possibilidade da morte. Acho que muito tempo de repouso faz mal ao ser pensante que sou, e olha que só fiquei de cama sexta, sábado e domingo. Aí eu fico carente, quero viver tudo o que não tenho tempo para viver, quero falar as verdades, repenso a questão do perdão.Meu silêncio torna-se inversamente proporcional à minha atividade cerebral.Aí quero tudo e ao mesmo tempo nada.E antes de morrer, eu quero que quem diz que me ama, demonstre mais do que fala.Que quem me tem como amiga, me abrace quando eu preciso.Que minha mãe não seja a única pessoa no planeta a me trazer um caldo para eu melhorar rapidinho.Quero que meus colegas cineastas compreendam que a gripe me tira a inspiração.Quero resolver questões mal resolvidas, que são muito poucas.Quero criar novas questões que me levem aonde quero chegar.Quero ter mais tolerância com as bobagens que escuto.Quero não me revoltar com as atitudes egoístas.Mais que carente, acho que fico mesmo é querente!!!

2 comentários:

Lucia Luz disse...

Turmalina

Receba meu abraço e meu carinho.
E qualquer coisa grita.
É natural ficarmos querentes.
Beijinho

Lucia

Turmalina disse...

Lucia...obrigaaaaaaaaaada!!!
Assim diminui os meus quereres...
Beijos :o)