5.1.12




Outro dia postei aqui esta poesia do Drummond, mas escutá-la na voz do querido Paulo Autran é outra coisa. Foi algo que me fez voltar no tempo. Ainda na faculdade de comunicação eu arranjei trabalho numa rádio.Menina aplicada, rapidamente me dei bem e sempre me enviavam para as melhores entrevistas.
E foi assim com Paulo Autran, que encontrei na sala de conferência do melhor hotel da cidade.Cheguei cedo e o peguei lendo, sozinho, na sala.Ao invés de ficar um tanto desconcertada, afinal eu era ainda uma "foca" (repórter inexperiente), fiquei radiante e abri um enorme sorriso que me foi retribuído na mesma intensidade. Eu havia escutado boatos sobre o ator, que ele não gostava disso, que não se podia perguntar aquilo, que não etcetera e tudo. Mas aquele sorriso e seu olhar doce e amoroso me desmontaram.
Quando dei por mim estava sentada ao seu lado falando amenidades.E ele sorria! Talvez achasse graça na minha pouca idade ou então naquela visível falta de experiência, que não deixei que me intimidasse.
Penso ainda que tudo é somente uma questão de ação e reação.Já dizia São Francisco de Assis que é dando que se recebe.
Alguns minutos depois chegaram os repórteres, assessores de imprensa, diretor, produtor, gerente e mais uma dezena de curiosos.A coletiva correu bem, mas em nenhum momento o ator revelou-se tão amoroso como quando o encontrei.Nunca mais o vi, mas ao escutar essas palavras lembro-me nitidamente daquele sorriso e me sinto uma pessoa privilegiada por este breve instante de tempo.
E ainda falando em tempo, como diz Oswaldo Montenegro na música "A vida quis assim" do seu novo disco 'De Passagem' : comece o dia amando mais você!!! Escuta lá no site.

3 comentários:

Lucia Luz disse...

Que delícia de postagem.
Receba também o meu sorriso.
Beijinho

Lucia

Turmalina disse...

Lucia..que sorriso mais amoroso que retribuo com alegria no coração!!!
Beijos

George Sand disse...

Lindo! Pode-se ouvir, a vida inteira.