17.10.11

"Neste sábado, milhares de pessoas foram às ruas de cidades do mundo todo, em um dia global de protestos. Os atos questionam a elite financeira, a desigualdade econômica e o socorro aos bancos em detrimento das populações dos países endividados, especialmente na Europa e nos Estados Unidos.
A onda de protestos global, sob o lema "United for globalchange" (Unidos por uma mudança global, na tradução livre), faz parte da iniciativa internacional convocada para 951 cidades de 82 países --incluído o Brasil-- e reforçam o movimento "Occupy Wall Street" (Ocupe Wall street, em tradução livre), que mobiliza Nova York há quase um mês."
(Da EFE, em Londres/Folha.com)

No Brasil, os protestos acontecem dando ênfase à corrupção.E tanto aqui como no restante do mundo o problema principal é mesmo este.Infelizmente perdeu-se a vergonha na cara.A corrupção contaminou todos os setores da sociedade.

(Foto:Luis Paulo Mariano)

Enquanto isso, em 10 de outubro, três agências da ONU divulgaram o resultado de um trabalho conjunto que logo de cara já afirma que:
“Mesmo se atingirmos as metas do milênio até 2015, 600 milhões de pessoas ainda sofrerão por causa da fome. Assistir 600 milhões de pessoas passando fome regularmente é inadmissível. Toda a comunidade internacional deve agir com urgência e energia para banir a insegurança alimentar do planeta”.

Novamente vamos esbarrar na corrupção e num sistema ineficiente de produção e distribuição de alimentos. No Brasil perdem-se toneladas de alimentos por questões políticas e econômicas.Os chamados "distribuidores", que na prática são intermediários entre o produtor e o consumidor, também fazem parte deste sistema corrompido aonde o que não gera lucro deve ser descartado.

Mundialmente o clima tem afetado o panorama agrícola do planeta.Mas até mesmo a questão climática pode ser contornada.Não contornável é a falta de vontade política para acabar coma fome no mundo.

Na África, por exemplo, a coisa anda bem pior. São 4 milhões de pessoas em situação crítica de risco alimentar.Alí, além da seca, em algumas regiões do continente continua ainda uma Guerra Civil iniciada em 1991, que dificulta o trabalho das equipes de ajuda humanitária.

E alguém pode estar se perguntando sobre o seu papel nisso tudo e concluindo que não pode fazer muito a respeito.Pode sim, pode se opor a todo e qualquer tipo de corrupção.Pode manter-se firme, correto e não se deixar levar pelo sistema que uma hora vai tentar te corromper.

4 comentários:

ameixa seca disse...

O mundo é, neste momento, um lugar muito estranho!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tenho alguma esperança que este grito que ecoa por todo o mundo,dê alguns frutos. Estarei a ser optimista?

Turmalina disse...

Ameixinha...e bota estranho nisso....

Turmalina disse...

Carlos...estou te achando otimista demais, mas quem sou eu para discordar :o)