30.8.11

Ontem eu pensava que bom seria se existisse um teletransporte.Nem que fosse temporário, que durasse poucos minutos ou mesmo que tivesse algumas limitações geográficas, ou ainda que não fosse muito confortável.Cheguei a fazer uma lista dos locais aonde gostaria de estar no final da tarde de ontem. Alejandro Amenábar retrata bem essa sensação em "Mar Adentro".
O filme, baseado na vida real de Ramon Sampedro, é uma descrição poética da tentativa do protagonista de poder morrer em paz e por vontade própria.Mas todos os seus pedidos, na Justiça, para a prática da eutanásia, foram negados.E também mostra, mais uma vez, o Estado se curvando à Igreja, respeitando seus preceitos "morais".
Muito do que tem exaurido minhas forças depois de um dia inteiro de trabalho é conseqüência de uma postura mais que reprovável por parte de alguns representantes da Igreja, que isentos de moral e protegidos por um grande poder político e religioso, podem mentir, roubar, pressionar e inclusive reverter a Lei a seu favor.
E por que então, ao invés de reclamar, eu não largo tudo isso? Porque se correr o bicho pega e se ficar o bicho come.Leva um tempo para nos livrarmos de suas garras. Nem sempre o que te imobiliza é uma questão física.

"There are more things in heaven and earth, Horatio, than are dreamt of in your philosophy."
William Shakespeare, "Hamlet", Act 1 scene 5

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Um grande filme que um dia destes estará em exibição nas Noites de Cinema do CR

Turmalina disse...

Carlos...faz muito bem em exibí-lo no CR :o)