1.8.11

Bom dia!!!!!!!
Depois de mais de 9.200 palavras, 56 páginas e não sei quantos diálogos acabei o roteiro do longa com uma mãozinha do Igor, meu colega roteirista e diretor.Ele me ajudou a desenvolver cenas que estavam um pouco embaçadas na minha mente.Das 49 cenas, me auxiliou em pelo menos 20.É muito bom discutir sobre a cena com alguém que não tenha a mesma visão que você.É um outro ângulo e até mesmo um outro enquadramento daquilo que você achou que não estava tão bom assim.E não tenho problema algum em dividir a autoria do meu texto, principalmente se ele pode ficar melhor.Não entendo aquelas pessoas que se sentam sobre suas produções e não aceitam uma parceria que possa ser positiva.E eu vejo o cinema, sempre, como um trabalho em conjunto.São inúmeros os exemplos de boas parcerias.
Um dos melhores resultados do que estou falando pode ser visto no filme Ninotchka, estrelado por Greta Garbo, dirigido por Ernst Lubitsch e escrito por Billy Wilder, Walter Reisch e Charles Brackett, que foi co-roteirista de Wilder em muitos filmes.

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Cada vez é mais difícil as pessoas aceitarem trabalhar em equipa. Encaram a sua actividade profissional como uma coutada e fecham-se em casulos, como se fossem o centro do mundo.
A diferença no jornalismo então, é abissal.
~Quando me iniciei na profissão havia uma camaradagem incrível, não só dentro das redacções, mas também entre profissionais de diferentes jornais. Hoje a selva e a concorrência começa dentro das redacções.
Tem muita sorte em ter um director que é também um camarada, Turmalina. Invejo-a por isso...

Turmalina disse...

Carlos...mas isso só funciona no cinema, ou melhor, na minha atividade cinematográfica, porque no meu trabalho burocrático a realidade está bem distante.Eu diria até que é o contrário.Alí ninguém trabalha em equipe e um sempre quer passar por cima do outro.É uma disputa ridícula por reconhecimento e atenção.