2.5.11

No dia 23 eu escrevi sobre uma matéria que falava de consumo sustentável da Revista SUPERINTERESSANTE e na verdade foi a matéria da capa que ficou martelando na minha cabeça.
Ela trazia um panorama do que andamos comendo por aí. E agora quando eu olho para o que vou comer acabo automaticamente pensando no assunto. O frango, lotado de hormônios, é mito. Já um nugget é mesmo um amontoado de coisas, principalmente milho, assim como outros produtos industrializados. Mas o veneno mesmo está na feira.Leia a matéria na íntegra aqui.
Eu tenho uma certa birra com os industrializados, mas no corre corre diário, precisamos lançar mão deles algumas vezes. O negócio é ficar atenta ao rótulo.
Eu fiz o teste com o requeijão.Comparem a composição dos disponíveis no mercado.Tem coisa lá que é tudo menos requeijão.A prendada aqui aprendeu a fazer queijo e requeijão caseiros, mas quem disse que eu tenho tempo? Eu até tento fazer algumas coisas em casa como o molho de tomate, mas para expandir essa minha atividade caseira eu precisava de um dia com pelo menos 30 horas.
O sal (sódio) também é presença constante nos rótulos.Percebi que em Portugal usa-se bem menos sal do que aqui.Aqui até refrigerante tem altas doses, para um produto teoricamente doce, de sódio na composição. Isso sem falar nas bolachas recheadas que as crianças tanto gostam.
E quanto ao que compramos na feira, copio as dicas da Revista:

1. Prefira produtos locais
Frutas importadas, por exemplo, terão mais químicos para suportar a viagem e chegar em bom estado ao Brasil.

2. Lave as frutas com esponja
Só água pode não ser o bastante para tirar os resíduos de pesticida.

3. Compre produtos da época
As frutas que não são da estação recebem mais agrotóxicos para durar além da conta.

4. Evite a beleza exagerada
Desconfie da fruta que parece obra de arte. Ela pode ter recebido mais agrotóxicos.

3 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Ai, ensina a fazer requeijão? Precisa de algum equipamento especial?

Turmalina disse...

Lu...essa história é longa. Tínhamos, há uns anos atrás uma vaca, chamada Matilde que nos fornecia leite diariamente.Com o leite e coalho fazíamos o queijo.Quando o queijo coalhava em blocos, ainda na panela, trocávamos o soro por água e levávamos ao fogo para aquecer novamente.Depois de novo descanso retirávamos a massa (ainda molinha) para uma outra panela e lá adicionávamos amido de milho diluído em um copo de leite e sal. Retirávamos do fogo e adicionávamos creme de leite e batíamos a massa até ficar lisinha.Tem quem adicione manteiga.
Me parece que tem quem faça com ricota na falta da massa fresca do queijo.Eu nunca tentei, mas dizem que dá certo! Vou tentar e depois te digo :o)

Karen disse...

Acho que prefiro não comer requeijão... Parece meio trabalhoso...

Eu procuro não comer produtos industrializados, reduzir carnes vermlhas, comprar aquele frango "feliz", consumir orgânicos, etc. Tenho um certo controle sobre aquilo que como porque cozinho sempre, mas não é fácil.