30.4.11

Mimos de viagem

Voltemos, então, à Portugal. Passei horas muito agradáveis em frente ou por sobre o Tejo. Encontrei-me com alguns autores e autoras do É Tudo Gente Morta. Em carne e osso eles são ainda mais surpreendentes.Voltei carregada de presentes, que só pararam na estante para a fotografia.Dois foram presente da encantadora e tão cheia de vida, Joana: Mau Tempo no Canal, de Vitorino Nemésio e ERVAMOIRA, de Suzane Channtal, que estou lendo com fervor.
Outros me foram dados pelo querido Manuel e que envolviam dois, ou melhor três, autores ausentes: António Eça de Queiroz, Pedro Marta Santos e Fernando Pessoa.Todos da Editora Guerra & Paz.
O único que já terminei de ler é o Santo António, o homem por trás da lenda, do António Eça de Queiroz. Padroeiro de Lisboa era até então um Santo pouco conhecido por mim. Foi um homem íntegro e determinado que caminhou pelo mundo pregando aquilo no qual acreditava.Gostei muito do seu jeito de ser.E o António escreve de uma forma muito agradável.
Assim que eu terminar ERVAMOIRA e o Guia Terapêutico de Cinema, do Pedro Marta Santos, vou pegar O Romance Ilegal do Sr. Rodolfo, também escrito pelo António.
Sobre o Guia Terapêutico eu venho falar depois, quando terminar a leitura.Só adianto que é super relaxante e que já dei boas risadas com ele, ou seja, o efeito terapêutico começa já na leitura.Faltou contar ainda da participação telefônica do nosso querido José Navarro, que é outro encanto de pessoa.
Depois desse almoço maravilhoso, tive ainda um final de tarde maravilhoso numa mesinha pertencente à um charmoso quiosque, em uma adorável praça no Campo de Santa Clara, na Freguesia de São Vicente de Fora. A Carlota, minha amiga desde o primário, nos convidou para um final de tarde refrescante em meio à tanto calor. A surpresa foi perceber que estávamos de frente para o Tejo, numa posição privilegiada.Entre um chá gelado e muito bate papo o dia foi dando espaço para a noite.
Foi também o bate-papo que permeou a outra noite que saímos juntas.Afinal ela já mora em Lisboa há 19 anos e tem muita história para contar.Ela também foi outra autora que me presenteou com a sua própria obra.E esse é o melhor presente que alguém pode receber.

Um comentário:

Borboletas nos Olhos disse...

Que bom que foi, né, querida. E livros são mimos tão carinhosos e enriquecedores. Bjs