29.1.11

Muito sol...e muito lixo!

O advogado do empresa voltou de férias, numa badalada praia do Guarujá, seis quilos mais magro. Fruto da tranquilidade, vida ao ar livre, uma boa dieta e exercícios? Que nada, foi mesmo uma virose que atingiu boa parte dos turistas.O que na verdade eu chamaria de bacterose, causada por sujeira.
Depois me acham fresca quando digo que não gosto da praia no verão. Já se perguntaram aonde é despejado tudo o que desce pela descarga de milhares de turistas todas as temporadas, se a cidade não possui um sistema de saneamento básico eficiente? No mar, é claro! E tudo o que jogam ou enterram na areia da praia, héin? Mais uma vez, no mar, aonde tudo o que vai, volta, num movimento sucessivo e infinito.
Quem leva uma sacolinha para praia para recolher seus lixos? Uma minoria. As latas, por sorte, são recolhidas por catadores, num tipo de subemprego. Já pensaram na quantidade de palitinhos de sorvete, feitos de madeira de reflorestamento ou não, que acabam na natureza? Assim como os palinhos dos espetinhos de queijo, camarão e etc. Isso sem falar dos plásticos.E isto é justo?
Me parece que quanto mais gente, mais lixo. Mas a lógica aqui está invertida, porque quanto mais pessoas dispostas a não poluir o ambiente, menos lixo deveríamos encontrar nas praias.Minha queixa é que dizem que uma boa parcela dos brasileiros possui consciência ambiental.Eu digo que quem diz que tem, não aplica.
Voltando ao princípio, as cidades praianas deveriam se preocupar com a construção de unidades de tratamento de esgoto para evitarem problemas de saúde pública.Assim como cada cidadão deveria ser efetivamente responsável pelo lixo que produz nas praias, lixo este que teoricamente nem deveria existir.
Vejam lá o que o Beto escreveu sobre o assunto. O video abaixo eu trouxe de lá:



Enquanto isso não me chamem para a praia no verão, ok?

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sabe que aqui na Europa construíram um hotel ( gratuito) feito com dejectos de lixo apanhados nas praias?

Turmalina disse...

Carlos...haja lixo e falta de educação. Pelo menos usaram-no de forma positiva! Eu diria que é menos mal.