3.12.10

Sempre me disseram que as pessoas precisam procurar fazer o que gostam.Na verdade eu gosto da minha família e aprendi a gostar do meu trabalho.Gosto de escrever cinema e de ver as cenas na tela. Gosto de assistir à filmes, qualquer gênero, mas não que eu goste de todos.Não gosto de comédias ofensivas, detesto o exagero do sangue esguichando dos filmes de terror e os filmes de guerra não me fazem bem.
Agora eu descobri que gosto de Pilates!
Eu tinha a idéia de que Pilates era para pessoas de porte atlético e que eu aqui, quase uma representação de Ganesh, com um corpo avantajado e perninhas roliças, não teria condições de executar os exercícios.


Mas que nada! Tive a sorte de conhecer uma instrutora caída do céu. Quando ela me orienta e demonstra a posição angel arms chego quase a ver asas saindo por trás dos seus ombros.É graças a atenção e determinação tanto dela quanto minha que estou evoluindo a cada semana.E sempre saio da aula melhor do que entrei. Com o corpo e a mente em total harmonia.

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Fiz ioga, o que me dava uma grande serenidade. Já me tentaram convencer com o Pilates e um dia vou experimentar, mas primeiro preciso de recuperar alguma paz interior.

Turmalina disse...

Carlos...eu fiz quase dois anos de ioga, mas foi justamente o stress diário que não me permitiu continuar.
Já o Pilates dá para administrar bem, com ou sem o stress.E eu ainda não tenho toda a paz interior almejada.O Pilates é mais como um cuidado e um carinho merecido ao corpo e à alma cansados. São aqueles minutos preciosos :o)