28.7.10

Outro dia li por aí sobre a relação das pessoas com as músicas. Uns tinham uma música para cada pessoa com quem se relacionavam, do tipo "a nossa música", e outras, como a Luciana, um única música para todas as pessoas.Fiquei pensando e pensando e percebi que nunca tive uma música assim tão específica na minha vida.
Foi aí que me lembrei que sempre gostei de interpretar as letras das músicas, mesmo que meio às avessas.O ano era 82 ou 83, a minha já memória já me trai um pouco.Nas telas do cinema fazia sucesso A Força do Destino com a Debra Winger o Richard Gere. Nas rádios tocava muito a música Anunciação de Alceu Valença.Muitas foram as interpretações dadas à música.Ela anunciava a chegada de um filho, de um salvador e etc. Eu, apaixonadíssima na época, com aquela coisa de primeiro sério namorado, achava que a música anunciava era o próprio.
Afinal, a letra dizia:

Na bruma leve das paixões
Que vêm de dentro
Tu vens chegando
Prá brincar no meu quintal (...)

A voz do anjo
Sussurrou no meu ouvido
Eu não duvido
Já escuto os teus sinais(...)

Tu vens, tu vens
Eu já escuto os teus sinais...

5 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu sou mais do género da Luciana, mas também tenho algumas músicas para pessoas especiais.

Borboletas nos Olhos disse...

Eu ia escrever um comentário de um tipo, mas ser citada no post e nos comments é de deixar a pessoa paba demais.
Eu também achava que Anunciação era uma canção de amor...E, Turmalina, acho tão lindo seu blog que às vezes minhas palavras ficam tímidas de comentar, mas estou sempre espiando...

*Claudinha disse...

Tu vens, tu vens
Eu já escuto teus sinais

Estava apaixonada também naqueles idos de 1983, a partir de setembro daquele ano vivi uma linda estória de amor.

Pouco menos de um ano depois achei que, tristemente, ela tinha acabado. Mas as estórias de amor, sempre vividas tão intensamente em nossa juventude nunca acabam, ficam as lembranças, as músicas e os sinais.

É bom lembrar desses momentos tão carinhoso. É quase revivê-los, mesmo tanto tempo após, sempre com leveza na alma e um sorriso nos lábios.

Ai ai(suspiro), tudo tão bom não é?

Beijinho,

*Clau

Turmalina disse...

Carlos...eu tenho também músicas para as pessoas mas não com as pessoas e acho dá prá se viver bem assim tb :o)
Lú...estou sempre no seu blog também, adoro a forma vibrante, quase compulsiva, como você escreve.E muito obrigada pelo elogio, que eu gosto muito...rsss...comente, espie, venha sempre que a casa é sua :o)
Clau...que bom que te fiz suspirar...cadê o nosso cafézinho dos velhos tempos para eu ficar à par dos seus amores, héin? Afinal, amiga também é prá essas coisas! Daqui à pouco as pessoas vão se distanciar tanto que só vai sobrar o Facebook para nos comunicarmos...
Bjos!!!

ameixa seca disse...

Não tenho essa coisa de ligar a música às pessoas ou aos momentos da vida. Gosto de música, de muita música e isso, por si só, é delicioso :)