12.6.10

Quem bem me conhece sabe que detesto injustiças, embora eu não seja a dona da verdade.Mas em algumas situações vemos claramente quem mente, quem engana ou quem trapaceia. E eu não deveria ter nada com isso, afinal isso é da consciência de cada um. Mas quando amamos as pessoas afetadas, fica um sentimento muito ruim de revolta. Como diz minha mãe:
- Não se aborreça, minha filha, o que é deles está guardado.
Mas por outro lado existem pessoas boas e justas, embora muitas nem sempre tão verdadeiras. Tento deixar os maus pensamentos de lado, afinal tenho visitas em casa. Eles saíram para dar umas voltas e visitar uns amigos. Enquanto isso preparei uma torta e deixei tudo prontinho para fazer um caldo verde logo mais. Porque com esse frio não dá nem prá pensar numa saladinha.

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Caldo verde? Igual ao nosso? Hoje haverá muita gente em Lisboa a comer sardinha assada e caldo verde. É véspera de Santo António, o padroeiro de Lisboa.

Turmalina disse...

Sim...igualzinho e lotado de couve, servido com um pãozinho quentinho! Mas eu não sabia que era servido aí no dia de Santo Antonio, como também não conhecia os manjericos e suas quadrinhas :o)

Giane disse...

Oi, Turmalina!!!

Um caldo verde bem quentinho cairia como uma luva, com esse clima tão frio...

Giane disse...

Quase esqueci!

Beijos mil!!!