25.9.09

O dia é cinza e mais uma vez o noticiário só traz desgraças. A explosão de um quarteirão na cidade de Santo André, deixando dois mortos e mais de 12 feridos me pareceu mais um caso de morte anunciada.Os bombeiros afirmam que o local era uma loja, situada em um bairro residencial, que vendia fogos de artifício sem autorização. E descobriram tb que nos fundos muita pólvora era manipulada para a confecção de pequenas bombas. A comercialização de fogos de artifício já é proibida em algumas zonas, como a residencial, mas inúmeros clandestinos continuam trabalhando por aí. Estamos num país aonde a fiscalização sobre material periculoso inexiste, daí os acidentes com produtos químicos, resíduos hospitalares, armas de fogo, elementos radioativos, combustível e explosivos.Mais importante aqui é a fiscalização sobre os fumantes, os bares e restaurantes que hoje precisam lidar com todas as proibições impostas e tb sobre os impostos pagos que são altíssimos. Agora, fiscalizar clandestinos e a real aplicação do dinheiro arrecadado com impostos, isso é dificíl, né?

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Por cá foi preciso muitos incêndios e alguns mortos, para finalmente se fazer uma lei. Não é muito eficaz, mas reduziu os incêndios florestais no Verão.
O manuseamento e armazenamento nas fábricas de pirotecnia continua, porém, a revelar muita fala de cuidado e, de vez em quando, lá vai uma pelos ares.

Turmalina disse...

Carlos, aqui existem as leis, mas o problema todo está na fiscalização. As proprinas ainda falam mais alto...