27.8.09

Sinto que meu texto anda um pouco seco e um tanto óbvio, ainda reflexo dos anos de jornalismo. Nas reportagens eu evitava perder qualquer detalhe e tentava colocar o máximo de informações por frase e de forma coesa. Até que me adaptar à produção de roteiros não foi tão dificíl assim porque é uma linguagem bem técnica, cheia de formas e precisa de um texto bem detalhado.
Por exemplo:

EXT. NOITE – RUA - PRAÇA

PLANO AMERICANO – ALICE pára em frente à ANDARILHO que se encontra sentado debaixo de uma árvore em uma praça.A praça é longa e ANDARILHO está logo no começo dela, folheando um livro surrado de Willian Shakespeare, sem tirar os olhos da leitura.

ALICE
Ei, você aí. Por que está tudo tão silencioso?
Aonde está todo mundo?

ANDARILHO (com os olhos na leitura)
Hoje é feriado.Tá tudo fechado.

ALICE
Feriado? Mas que dia é hoje? Eu não me lembro.

ANDARILHO
Ah! Isso eu não sei! Também não me importo.
Eu nunca sei que dia é hoje.
Hoje é todo dia.

ALICE
Mas deve ser um dia importante!

ALICE sai caminhando para o interior da praça, olhando para trás, na direção de ANDARILHO.

ANDARILHO
Ei, aonde você vai?

ALICE (feliz)
Descobrir que dia é hoje!
Só que escrever uma ficção, romance, crônica ou conto é outra coisa. São outros 500...mas um dia eu chego lá!!! Sei que tenho tido ótimas referências :o)

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pois eu acho que escrever roteiros não deve ser tão fácil como diz...Para mim, jornalismo fica bem mais fácil!

Veroca disse...

Tenho um amigo que tem uma produtora de videos e ele fala a mesma coisa sobre escrever roteiros e eu rebato como o Carlos. Acho que deve ser difícil. Quanto ao texto do jornalista, bem. Eu estou acostumada com textos jurídicos, especialmente escrito por juízes e digo: acho que todo juiz deveria fazer um curso com um jornalista. Prá aprender sobre o poder de síntese e sobre a objetividade rsrs. Gosto de textos com o cheiro de jornalistas, especialmente quando tem um algo de crônica. bjs