19.8.09

O poder da mídia é mesmo algo surpreendente: Marley e eu, primeiro eu li e depois assisti, assim como em Amor nos tempos do Cólera, Ensaio sobre a cegueira, Anjos e Demônios, Pássaros Feridos, Shogum, A insustentável leveza do ser, Lolita, O senhor dos Anéis, Harry Potter, Eragon, As Brumas de Avalon (série para TV), O caçador de Pipas, Ponte para Terabítia, O Nome da Rosa , Papillon , A Casa dos Espíritos, O iluminado, Janela Indiscreta (é um conto de Cornell Woolrich), E o vento levou, O morro dos ventos uivantes e tantos outros.
Mas vamos voltar ao Marley, que muitos disseram que se acabaram em lágrimas ao ler o livro ou assistir o filme.A mídia elevou o livro/filme à categoria daquelas tragédias aonde o mocinho morre no final e assim sendo me parece que muitos choraram e se emocionaram acompanhando o coletivo. Realmente o final é bonitinho e exploraram muito bem no filme a emotividade das crianças, e isso sempre afeta o público. Mas já perceberam como existe a necessidade cada vez maior de humanizar os animais.Não pensem que eu não goste deles, pelo contrário, tenho aqui em casa 3 cachorros e 2 gatas.Inclusive um labrador chocolate do naipe do Marley (na foto acima). Amo-os de paixão, mas bicho é bicho e gente é gente. Já perdi vários cachorros, todos morreram de idade avançada. Talvez não tenha me acabado de tristeza com a história de Marley porque aqui em casa, desde cedo convivemos com animais, e aprendemos que a partida deles faz parte da ordem natural das coisas. Eu derramo lágrimas mesmo, em filmes como O jardineiro Fiel, Nascidos em Bordéis, Diamantes de Sangue, Amor sem fronteiras, porque aí sim fico triste de ver seres humanos sendo tratados como animais.

4 comentários:

ameixa seca disse...

Chorar com filmes não é muito comigo, acho que só chorei valente num filme mesmo que foi "A paixão de Cristo". Mas eu choro muito quando os meus animais de estimação morrem, eu choro de desgosto, eu choro porque perco um companheiro, eu choro por tristeza e por sentir que não posso fazer nada.

Luci disse...

vc é a única pessoa que conheço que também leu e assistiu Shogum!
beijokas!

Anônimo disse...

Tá brincando, Sis....
É uma pena que poucas pessoas conheçam a obra do Clavell.
Recomendo também o Tai Pan. Eu só não li dele o Gaijin.
bjosss
P.S Tô com saudades!!!
Ass. Eu mesma

Veroca disse...

Querida Turmalina,

Também amo animais e concordo com você que bicho é bicho e gente é gente. Mas tem gente que vou te contar....Meu cachorrinho, que aparece na foto do meu perfil, já está velhinho e sei que é o cachorro da minha vida. Tive muitos antes e nenhum foi como ele. Não sei que terei outro depois. Mas com ele aprendi uma coisa. São os nossos bichinhos que nos humanizam, sabia? Muito que aprendi de doar afeto, aprendi com ele. Meus amigos e parentes agradecem rsrs, Beijo meu