7.4.07

Paralelamente ao mal momento emocional que passei na semana passada, uma outra coisa tem tirado meu sono.E é algo que dói lá dentro!
Meu filho está deprimido outra vez. Só que desta vez sua depressão tem um nome: mãe biológica.Ele deixa bem claro que me ama de paixão e que isto não tem nada à ver comigo.E eu honestamente não acho que seja "falha"minha.O problema , segundo ele mesmo, é o buraco que fica na sua vida.Ele fica triste porque foi rejeitado, o que eu considero natural.Eu já argumentei de todas as maneiras que conheço e nada.Seu desejo de perguntar à mãe biológica o por quê é muito forte. Só que ele ainda tem 11 anos. Não sou contra que ele à procure, eu sabia que isto podia acontecer,só que ele ainda não tem maturidade emocional suficiente para este encontro.Se é que nós a encontraremos.Ela é uma mulher branca que nem quis ver o filho qdo ele nasceu, segundo as enfermeiras que participaram do parto.E se ela o rejeitar novamente? Como disse um amigo meu:
- Aí vc joga terra em cima e termina de enterrar!
Faz mais de uma semana que ele está uma tristeza só. Já entramos com medicação para auxiliá-lo, mas remédio não faz milagre.É horrível ver seu filho chorando todo dia por algo que vc não pode resolver.Ele deita na cama e não quer sair prá nada.Eu faço malabarismos prá tirá-lo de lá! Isto tudo aconteceu depois de uma noite que acho que tentaram entrar em casa.Ouvimos um barulho muito forte na porta, como se estivessem tentando entrar a força.Meu cara metade gritou e automaticamente chamamos a polícia.A polícia chegou em dez minutos e não encontrou nada.Nunca vamos saber o que aconteceu.E neste dia, meu filho entrou em pânico e chorava desesperadamente lembrando do assalto que sofremos no final do ano passado.À partir daí ele chora todo dia.Eu tb me assustei, mas sou adulta e lido melhor com as situações. Eu acredito que o subconsciente dele tenha feito alguma ligação entre a perda de indentidade ao nascer e ao ser assaltado como fomos.Pois é, a rapadura é doce mas não é mole, não!

Um comentário:

Claudia * disse...

O sentimento de vazio vai ser aos poucos preenchido pelo amor de vocês.

Quem sabe aos poucos ela vai entender que o desamor não tem razões que a razão possa compreender e por isso não vale à pena procurá-las.