5.4.06


Em Cartaz:
UM HEROI DE NOSSO TEMPO, filme francês dirigido pelo romeno Radu Mihaileanu .
Com apenas 9 anos, Salomão (Moshe Agazai), que em hebraico quer dizer paz, é um caldeirão humano de culturas e religiões: é um cristão negro nascido na Etiópia, que vive em um campo de refugiados no Sudão. Para sobreviver sua mãe (Meskie Shibru Sivan) o ensina a se fingir de judeu, de forma que possa entrar em Israel. Lá ele é adotado por uma família de judeus de origem francesa. Obrigado a usar os mais variados recursos para justificar a mentira de que é judeu e também órfão, Salomão também enfrenta dificuldades em se adaptar com sua nova vida. Sinopse enviada pelo meu querido amigo Jorge Marcio.

Minha vida; Quando meu filho chega e diz que apesar do amor que eu sinto por ele e do que ele sente por mim ele não deveria ter nascido, eu trinco! Mas é quando ele fala que se sente rejeitado socialmente por ser um filho adotivo negro de uma mãe branca, que um pedaço de mim quebra de vez... É quando ele diz:
- Sabe como é , mãe... eles acham que filho adotivo não é filho de verdade! Se a gente pelo menos fosse parecido...
Não, eu não sei, eu não fui adotada pela minha mãe embora tenha sido adotada por muitas outras mães, tias e avós e todas multicoloridas, com diferentes crenças e costumes.Eu não vejo esta diferença que ele fala que os outros fazem questão de ressaltar! Eu costumo dizer que o amor é cego ...e dói, segundo ele.
Mas é aí então que eu o pego pela mão e de cabeça erguida enfrento o mundo... São com os olhos cheios d'agua e o coração apertado de dor que não deixo que ele desista. Algumas vezes ele cansa e acha melhor não pertencer e aí eu digo à ele da importância de pertencer. Com muito amor e carinho, e aos poucos, a sensação de rejeição vai diminuindo e ele vai novamente se adaptando, até a próxima grande merda que alguém diga à ele. E ele tem só 10 anos e o mundo aí fora é miseravelmente cruel... e por essas e outras somos extremamente fortes!!!
Vejam como a ficção não é tão distante assim da realidade!

2 comentários:

Rosana disse...

Oi, queridona. Não consigo me conformar com isso, sabia? Não me entra na cabeça esse tipo de rejeição em pleno século XXI. Mas não se preocupe. Seu filho, sentindo o amor que vc lhe dedica, haverá de superar tudo isso. E se Deus quiser, ele será um grande homem, bem maior do q esses seres pequenos.
Lindaura, postei a Ciranda de Manias. Eu não gosto de correntes mesmo, mas essa nem doeu. Até ri muito em constatar o tanto de mania que tenho! Kkkkkkkkkkkkk.
Bjunda

érica disse...

com todo esse amor e cultivo da capacidade de exercer a visão do todo em detrimento de si mesmo, seu filho ultrapassa barreiras e evolui como ser humano pronto pra enfrentar todo tipo de desafio que lhe impuserem. Ele com certeza vai levar pro resto da vida ensinamentos barbaros advindos desse diálogo sincero mantido entre vcs. Assim será construida uma personalidade reta, íntegra, forte, de cidadão que vai saber notar, respeitar/tolerar e o mais importante abstrair para si o melhor de toda esta rica diversidade abençoadamente presente em nossas vidas.
Podes crêr!!!!!!!
bjo, querida