25.1.16

Hoje à tarde, na volta do trabalho, conversando com minha mãe sobre a coisas da vida eu chorei sentida...aquele choro baixinho, lento e doloroso.Não conseguia parar, disfarçava um sorriso e logo algumas lágrimas me escapavam sorrateiramente.
Desconversei e arrumei uns motivos fúteis para a súbita tristeza.Acho que não colou, porque afinal mãe é mãe.
A verdade é que meu pai está com princípio de Alzheimer.
Nós chamamos de princípio, talvez na tentativa de nos iludirmos, mas é certo que o mal já está instalado.Há um ano ele começou a apresentar uns esquecimentos. O primeiro médico que consultamos disse que era algo normal do processo de envelhecimento.Nós aceitamos o diagnóstico sem qualquer tipo de questionamento.
Agora percebemos que ele se perde em datas, não consegue tomar determinadas decisões, esquece coisas banais, algumas vezes perde-se no meio da conversa e já esqueceu aonde estava indo com o carro.Na última vez, por sorte, ele telefonou para o cara metade e pediu ajuda.
De lá prá cá nós não o deixamos mais sair sozinho.
E ele era um homem com um raciocínio tão vivo, não precisava de mapas e muito menos de agendas.Sabia de cor, nomes, datas e números de telefones.Fazia contas de cabeça e mais rápido que todos nós juntos. Começou a vida como jornalista enquanto cursava Direito.Leu muito e escreveu muito mais do que leu.
Na verdade sempre foi meu herói maior, meu ídolo, meu exemplo!
O último médico que consultamos disse que está ainda bem no começo do Alzheimer, mas sinto que o estamos perdendo para o silêncio.Ele pode passar horas olhando para a televisão sem som e quando perguntamos porque a televisão está sem som ele responde que é para descansar os ouvidos.
Uma coisa que ainda faz seus olhos brilharem é quando dizemos que vamos para a praia...ele ama admirar o mar...passadas algumas semanas ele esquece que estivemos lá.
Aí fazemos plano de ir outra vez!!! E assim vivemos...
Costumo lidar bem com esta nova situação, normalmente levo na esportiva, mas acho que hoje estava mais emotiva e não consegui conter as lágrimas.
Amanhã acordo bem outra vez!



2 comentários:

*Claudinha disse...

Oi Cacau,
Fico muito triste por você e pelo diagnóstico de seu pai. Certo estou de que ele mesmo, pouco sofre. Força, rezo por ti e por todos aí.

Beijos,

*Clau

Turmalina disse...

Obrigada, Clau querida!
Sim, ele está bem...e tem alguns dias em que ele está ótimo.Ele conversa, se diverte, só esquece umas coisinhas...nós é que nunca sabemos quando será um dia bom ou ruim.Acho que com o tempo pegamos o jeito.
Obrigada pela força!!!
Beijos e saudades