22.1.16

"A palavra não tem nunca um único sentido, o termo, um único emprego. Toda palavra tem sempre um mais-além, sustenta muitas funções, envolve muitos sentidos. Atrás do que diz um discurso, há o que ele quer dizer e, atrás do que quer dizer, há ainda um outro querer-dizer, e nada será nunca esgotado." (Lacan 1953-54)

Nunca somos suficientemente honestos se deixamos que a razão fale mais alto.
Tenho dificuldade em falar com emoção quando não estou olhando nos olhos do meu interlocutor, porque a minha emoção fala pelos olhos.
Acho que já disse que não consigo fingir, já tentei, mas tudo em mim me entrega.
Procurando mais internamente sou cheia de atos falhos.
Para Lacan, a linguagem, por corresponder a um inconsciente entendido como falta, será para sempre incompleta em sua significação. Entre a nomeação das coisas e sua significação haverá sempre uma sutura mal feita.
Talvez o que me encante tanto nas músicas é que o dizer é amplificado pela melodia.
E a voz da Ivete Sangalo e o sentimento que ela coloca em algumas das suas interpretações costumam me conduzir a um lugar muito diferente do real.


2 comentários:

*Clau disse...

Coisa mais linda... faço minhas as palavras da música...

Turmalina disse...

Clau...linda demais.De doer, né?
Beijos