19.11.15

Para uma vida mais leve é preciso deixar algumas coisas de lado, ou então para trás, para nunca mais.Embora nunca seja uma palavra meio forte e que eu não gosto de usar.
É preciso um desapego que nada tem de material.O libertar-se é complicado!
Se sou uma soma do que vivi como vou abandonar o passado? Não que ele me faça mal, mas é que penso que devo abrir novas portas para o futuro sem estar presa às amarras invisíveis das velhas portas.
Se bem que não tenho certeza se o passado não faz bem...
Já ouvi dizer que quanto mais velhos ficamos, quando diminuem as nossas perspectivas de futuro, lembrar do passado faz mal.
Eu ainda não penso assim, mas com certeza, eu penso demais...e pior, eu não tenho controle sobre o que me vem a cabeça.
Aí eu tenho um dia estressante, chego em casa e tento relaxar, e o que acontece?
Minha cabeça fica rodando de pensamento em pensamento, numa mistura estranha, aparentemente aleatória de passado e presente.
Como resolvi o problema? Assisti ao The Voice.
Se me perguntarem hoje qual a música que mais gostei não me lembro, sei que foi cantada por um rapaz, mas valeu porque eu consegui relaxar e depois dormi.
Dormir é algo que faço muito bem!!!
Tanto que acordei super disposta, liguei no escritório e perguntei se minha presença era muito necessária hoje.Claro que já sabia a resposta e faltar é uma coisa que nunca faço. Olha eu usando o nunca aí de novo.
Vou tirar o dia para arrumar, ou melhor, limpar as caixas, estantes e gavetas.Deixar ir tudo aquilo que tenho guardado há anos e que tenho certeza que não vou usar nunca mais como recibos, bilhetes, papéis e etc. Outro dia encontrei dentro de uma agenda um cartão de correio elegante de uma festa junina dos anos 90. Acho que vou precisar de muito mais que um dia...
Só não me desfaço das fotografias, sou apaixonada por todas elas!
E sem dúvida alguma paixão é o que me move.
Tanto que já sei que quando chegar nas fotografias vou me demorar nelas e deixar o restante prá lá...e tudo bem também.
Tenham todos um dia lindo!!!




2 comentários:

Lucia Luz disse...

Ah esse desapego faz um beem danado.
E o rapaz cantou Nunca?
Amei
Beijo
Lucia

Turmalina disse...

Sim, Lucia.
Foi o rapaz que cantou o Nunca no começo e no final um tal de Lord também me impressionou.
Desapego material eu já aprendi, o outro é que estou tentando, principalmente o dos afetos, porque até o amor precisa de limites.
Beijos