26.8.12

Muito bem, esta é definitivamente uma das músicas mais românticas que conheço.



Tão romântica que infelizmente não dá para trazermos para a realidade.
Uma vida cor de rosa, sonhada, não faz bem à saúde.

E falando de amor lembrei-me de uma resposta que dei outro dia sobre a morte:

"Talvez por experiências pessoais vejo o momento do nascimento e o da morte muito próximos, mais ou menos como o silêncio que antecede a tempestade.Se estamos aqui, conscientes, antes ou depois, ninguém sabe afirmar com certeza.Daí que o que me importa é o tempo compreendido entre os dois extremos.Posso até buscar respostas no antes e no depois, mas nunca viver em função delas."
A verdade é que as respostas nunca são muito claras. As promessas de vida e amor eternos são muitas, mas depois de partirmos nada mais importa. Quando mais novos sonhamos mais porque temos tempo de sobra.Não diria que não sonho mais, só que agora sonho diferente!

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como sabe, sou francófono em termos musicais e até cinéfilos. Madeleine Peyroux é uma das vozes que mais aprecio hoje em dia.

Turmalina disse...

Carlos...nunca tive muito de francófona, mas com o passar dos anos tenho gostado mais dos filmes, diretores e cantoras francesas.