15.5.12

Freud acharia graça...no meio da tarde, entre uma e outra pilha de papéis, todos concentrados no escritório e me escapa pela boca: Joquem pô ( じゃんけんぽん).
Nem me perguntem aonde estava meu pensamento, que juro que não sei. Ainda demorei um pouco para me lembrar da velha brincadeira de Pedra, Papel e Tesoura.Jogar comigo era irritante porque de alguma forma, em muitas das vezes eu conseguia prever o próximo movimento do adversário.
Se o papel ganha da pedra, que ganha da tesoura mas que perde para o papel, o papel então é a saída! Não, porque a tesoura ganha do papel.
Cadê a lógica? Acho que ela não existe na relação perdas e ganhos, não é Sigmund?
Mas de qualquer forma é sempre conveniente estar de olho no possível próximo passo do adversário.

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eh,eheh!

Turmalina disse...

Carlos...deu prá perceber meu estado, né?