14.4.12

Foram dias de dúvidas atrozes e decidi largar o cinema, pelo menos a parte que diz respeito à produção.Eles ainda não sabem disso, quer dizer, eu falei mas eles não acreditaram.A experiência com a última filmagem foi sensacional e o resultado ficará melhor do que eu esperava.Semana que vem devo fechar a edição com o outro diretor.Mas, para mim, chega. O pouco retorno financeiro vem somente das aulas.E fazer uma atividade por amor com aborrecimentos não dá.Eu tô velha demais para administrar acessos de mal humor, TPM e rompantes de estrelismo.O mundo está mudado e as pessoas não se respeitam mais.Acho que isto é reflexo da idade avançando.Começamos a estranhar as atitudes alheias. Eu quero sossego.O meu trabalho, aquele que paga as contas do meu dia a dia, já exige demais de mim e eu aproveitava as horas livres para me dedicar ao cinema.Quando me dei conta estava abraçando mais do que podia.Me questionei muito sobre o prazer que o fazer cinema me proporcionava e precisei ser muito honesta comigo mesma e deixar o ego de lado para perceber que o custo/benefício não estava compensando. Desde o começo da semana estou reafirmando a minha saída do grupo, mas eles não estão levando muito a sério, afinal são dez anos de trabalho em conjunto.Como é difícil romper com alguma coisa sem que alguém saia chateado. (eu precisava escrever isto para me sentir melhor)

4 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há momentos em que o melhor é realmente parar. Se deixamos de ter prazer numa actividade que ainda por cima desempenhamos gratuitamente, o melhor é mesmo sair fora
Bom fds

Turmalina disse...

Carlos...obrigada pelo apoio, afinal vem de alguém que considero muito centrado.Viu só, estou aprendendo a priorizar...
Um final de semana de muito sol prá vc :o)

Lucia Luz disse...

Essa é um decisão difícil eu imagino mas muito acertada pelo que você fala. Há momentos que o melhor a fazer é parar.
Beijinho e força

Lucia

Turmalina disse...

Lucia...obrigada pela força :o)