9.8.11

"What you see around you is people unable to love each other"
Art Garfunkel (fazendo referência ao significado de Sounds of Silence)

Eu convivo basicamente e quase que diariamente com dois tipos de pessoas.
Os primeiros não falam sobre si mesmos, não compartilham pensamentos e muito menos sentimentos.São burocráticos e trabalham pelo e por dinheiro.
Já os outros, amam demais, se expressam demais e o dinheiro pouco lhes importa.
Todos estão sempre buscando, só que por caminhos diferentes.
Mas os integrantes dos dois grupos possuem, em comum, um silêncio interno quase que intransponível.Uns pela falta e outros pelo excesso.
E eu estou alí no meio, tentando não pender para nenhum dos lados.
Hoje meu dia começou cedo e já logo agitado.No meio de uma conversa profissional eu escutei:
- Ah, mas você é forte, aguenta qualquer pancada. Nem todo mundo reage assim.
Como tinha muita gente na sala eu preferi nem comentar.Eu queria dizer que sou forte sim, mas que humana e extremamente emocional.Que posso não reclamar, mas que sinto.Que talvez não me entregue aos problemas, que prefiro chamar de circunstâncias, mas que sou afetada por eles. Olhei toda a cena ao meu redor e resolvi pelo silêncio.Porque eu sei o que diz o meu silêncio.

9 comentários:

*Clau disse...

Saber silenciar é uma virtude que nem sempre consigo praticar.

Antes nem sabia do que se tratava, hoje sei o quão eloquente pode ser o silêncio.

Bom vê-la assim crescidinha e espertinha... rsrsrsrs

Beijocas

Turmalina disse...

Clau... definitivamente eu não consigo ficar brava com vc...mesmo me chamando de "crescidinha" e "espertinha"...
Se vc não consegue saber silenciar, imagine, eu, então? Fiz um esforço considerável para ficar de boca fechada.
Beijos e obrigada, mais uma vez, pela risada gostosa que dei agora.

CBO disse...

as vantagens de ilenciar ou explodir variam com as circunstÂNCIAS, PENSO EU...será por isso que muita gente diz que sou imprvisível?

Turmalina disse...

Carlos...vc está mais para incógnito do que imprevisível :o)

*Claudinha disse...

É, o crescidinha e espertinha talvez sejam sintomas da nova década que está chegando para mim.

Mas foi um elogio carinhoso tá?

Quando nos conhecemos éramos praticamente crianças, experimentando sentimentos e experiências inéditas até então.

A impulsividade era inevitável, um turbilhão de atitudes e ações que ainda hoje me fazem sorrir e relembrar com carinho cada momento daquela época.

Muito bom saber que vc dá risadas gostosas com minhas "pérolas".

Bjos

*Clau

Turmalina disse...

Clau...sei que foi um elogio, à seu modo, mas foi...por isso eu ri. Obrigada pelo carinho de sempre :o)

Turmalina disse...

Hhahahahaha...eu sabia que esse comentário teria réplica.Depois eu te explico, tá! Tenho que te pegar num dia de bom humor...rss....
Us? Tô convencendo minha mãe a procurar ou a me deixar procurar.
Bjossss

*Clau disse...

Estar de bom humor com vc, não precisa procurar dia não.

Bjos

Turmalina disse...

Clau querida...obrigada, mas seus seus olhos, ouvidos e paciência :o)
Bjossss e saudade!!!