10.10.10

Tem gente que me chama de ingênua, prá não falar boba, por simplesmente acreditar...mas eu acredito que as coisas possam melhorar, sempre! Eu tenho fé, a minha própria fé. E assim as coisas acontecem.
Hoje passamos a tarde toda com as crianças no abrigo. Foi uma festa! Além de conseguirmos arrecadar o que eles mais precisavam, que eram artigos de higiene para os bebês como sabonete líquido e shampoo específico e etc, levamos também brinquedos por ocasião do Dia das Crianças. Eu tenho uma concunhada maravilhosa que foi quem comprou os brinquedos e depois embrulhou-os um à um, no maior capricho. As crianças ficaram na maior alegria rasgando os pacotes e pedindo para que abríssemos os brinquedos, que são lotados de amarras de segurança
Ela levou também MM's. Foi pastilha de chocolate para tudo quanto foi lado e as crianças ficaram lindamente coloridas, lambuzadas e felizes! Eu brinquei de boneca e depois teve a sessão mamãe e bebê.Saímos de lá com o coração leve.
Mas mesmo assim ao fechar o portão, emotiva que só, tive uma crise de choro.Mas já passou! Foi uma mistura de sensações que nem eu mesma soube definir.É que às vezes eu acho o mundo muito injusto.
Mas hoje foi um dia bonito compartilhado com pessoas mais bonitas ainda!!!
Cheguei em casa, tomei meu banho, cuidei dos bichos e vim escutar um pouco de música.E hoje meu espírito pede um pouco de Thelonious Monk!





Thelonious Sphere Monk nasceu no dia 10 de outubro de 1917.

2 comentários:

Layla disse...

Obrigada minha querida, por proporcionar um dia como este a estas crianças... Amor é assim mesmo, enriquece quem recebe sem empobrecer a quem dá. Um beijo grande e feliz dia das crianças.
Salaam
Layla

Turmalina disse...

Layla querida...é tão bom, mas tão bom, mas tão bom, que em palavras não consigo expressar o tamanho do que sentimos.
O que me deixou mais chateada é que um dos meninos, hoje com 7 anos, passou à tomar medicação para hiperatividade.
Nós o encontramos como que dopado, sonolento, não brincou e externou muito poucas reações.Ele não era assim, era cheio de vida, sempre muito falante,contando tudo o que tinha acontecido nos últimos dias. Na verdade querendo atenção.E quando ele se agitava demais, era só ter um pouco de paciência, que conversando ele entendia.
O pior é que não posso nem criticá-los uma vez que são só duas pessoas por período para cuidar de 20 crianças. É complicado pedir à elas mais paciência.O que elas disseram é que ele passou a ficar agressivo. Tenho lá minhas dúvidas...mas eu não estou lá todo dia, não é?