17.7.10

Gosto muito de mim e inclusive das minhas incongruências.E que bom que mudo de idéia.Não tem nada pior do que uma pessoa irredutível, mas isso não vem ao caso agora.Sempre gostei de água, e é também debaixo dela que desbloqueio minha mente. Andei muito tempo presa à Terra, criando raízes que nunca me preocupei em cultivar.
Fiz uma viagem libertadora para o sul do país, numa espécie de "I Can". Eu precisava me sentir eu mesma depois de muitos anos de vida à dois e pelo menos 14 anos de vida à três. Voltei dizendo e acreditando que meu habitat, meu ambiente, são as montanhas. É lá que me sinto segura e senhora de mim.

Aí hoje acordo com uma enorme saudade do mar. Aquele que me acolheu de braços abertos e que compartilhei com quem amo. É o mar que conversa comigo e me tranqüiliza enquanto meu filho passeia sobre suas ondas. O mesmo mar que me traz a paz que eu preciso.
Hoje acordei com saudade do mar!


Um comentário:

Borboletas nos Olhos disse...

Eu preciso estar perto do mar. Preciso saber que basta ir ali, uma horinha de distancia, molhar os pés pra tudo fazer sentido de novo. Dizem que agua salgada ajuda a cicatrizar, sei lá...Ah, vou esperar o convite da lasanha...ja estou com agua na boca!