6.6.10

Deixando de lado as maldades humanas e tudo mais o que se faz em nome da tecnologia, progresso e até em nome de Deus, bom mesmo é escutar uma boa música depois de algumas libertadoras taças de vinho.
Liberdade é saber que hoje posso tomar vinho sem ter efeitos colaterais. Ou seja, tudo um dia acaba...
Como também é uma forma de libertação saber que aquele amor pernicioso é finito. Ok, essa é uma mentira escancarada.
Mas convenhamos que não há nada mais libertador que não mais sofrer de amor.
Liberdade é acreditar e fazer valer as suas palavras, por mais absurdas que pareçam aos olhos do mundo, cego.
Liberdade é poder apreciar a obra de Edward Hopper (1882-1967) e todo seus realismo fantástico, ao som de Jimi Hendrix (1942-1970) em toda sua psicodelia.

Continuando nessa viagem:

E dentro de toda a psicodelia permitida, Thank you, Mr. Blue Sky!

3 comentários:

Blondewithaphd disse...

Gostei dessa da liberdade ser não mais sofrer de amor. Nem mais!

Blondewithaphd disse...

É uma querida, você! Obrigada!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Passo numa corridinha só para desejar boa semana. Ando sem tempo...