2.4.10

A sexta feira Santa nos dia de hoje é esperada com ansiedade e sinônimo de feriado, viagem e bacalhoada. Esta sexta feira específica, que honestamente não tem nada de Santa, é de me revirar o estômago e está ligada à barbárie.

Me faz lembrar que homens, independentemente do grau dos pecados cometidos, eram crucificados. Eram literalmente pregados na cruz. É uma data para eu lembrar como o ser humano pode ser cruel.

E foi numa sexta feira Santa também que Irlandeses e Ingleses assinaram o Acordo de Belfast, mais precisamente em 10 de Abril de 1998, com intuito de pôr fim aos conflitos entre católicos e protestantes, que tiveram início no séc.17.
Em 1969 o governo britânico ocupou militarmente a Irlanda do Norte e, em seguida, dissolveu o Parlamento de Belfast, assumindo as funções políticas e administrativas. Em 1972, mais de uma dezena de jovens irlandeses católicos foram mortos no Domingo Sangrento. À partir daí o IRA (Exército Republicano Irlandês), grupo paramilitar católico, contra atacou. Em 30 anos de conflito, cerca de 3.600 pessoas morreram na Irlanda.
Entre as propostas de paz do Acordo de Belfast estava o estabelecimento de uma Assembleia da Irlanda do Norte com poderes legislativos, assim como uma nova legislação sobre policiamento, direitos humanos e igualdade para a Irlanda do Norte, além da libertação de presos políticos.
Este acordo aconteceu em 1998, mas somente em 2005 o IRA anunciou oficialmente o fim da "luta armada".

Somente agora, em 2010, é que os poderes legais e policiais serão transferidos de Londres para Belfast, no próximo 12 de Abril, num acordo entre o Partido Republicano Sinn Fein, o lado católico do conflito e o Partido Unionista Democrático, favorável aos protestantes.
Tudo em nome de Deus... será que Deus sabe disso?

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Nas Filipinas a auto flagelação e a crucificação ainda hje fazem parte dos rituais da Páscoa. Uma barbárie!

Turmalina disse...

Carlos...estamos cercados de barbaridades...