11.2.10

Mandela

Apesar da pobreza e dos problemas econômico-sociais que ainda castigam milhões de pessoas na África do Sul, eles podem hoje comemorar a liberdade e a democraria. Apesar de toda abertura política que Mandela conquistou, o país ainda apresenta altos índices de desemprego, criminalidade, favelas e portadores do HIV.
Deixando de lado estas questões, vamos voltar o dia de hoje para celebrar os 20 anos da
libertação de Nelson Mandela.Foi o início de uma sociedade multirracial, que infelizmente livre do apartheid racial vive atualmente um apartheid de classes.
Inegavelmente Mandela é o maior símbolo de liberdade que conheço. Aos 91 anos continua lutando, agora contra a Aids. O ex-presidente sul africano perdeu o filho Makgatho Mandela, 54 anos, para a doença em 2005. A realidade distanciou-se dos seus ideais, mas mesmo assim o "pouco" que realizou foi muito num país que precisa tanto.

9 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também tenho um post preparado sobre Mandela, no meu novo blog. É mais que justo lembrar esse grande combatente da liberdade.
E é bom visitar pessoas que têm memória e sabem a importância de lembrar estes exemplos aos mais jovens.
Obrigado,Turma

Turmalina disse...

Carlos, não sei se é bem memória, uma vez que quando Mandela foi preso eu ainda nem era nascida, acho que é mais uma questão da consciência que vamos adquirindo e da necessidade moral de não deixarmos morrer a história :o)

Turmalina disse...

Carlos...P.S. Novo blog?

Anônimo disse...

É tanta patacoada que até dói ... mas enfim, é como diz o roto ao nu, porque não te vestes tu? Ou, também pode ser assim, estando a minha casa absolutamente emporcalhada repara-se apenas que na casa da vizinha há, sobre a mesa, uma poeirinha trazida com o vento do entardecer ....

Mandela é um símbolo, sim. Vê-lo comove. Saber de todas as suas lutas dá vontade de nunca baixar os braços.

Patacoadas, não, por favor.

maria

Turmalina disse...

Maria, levanto os braços com vc e sou fã incontestável de Mandela.A liberdade que ele conquistou para o seu povo não tem preço. Isto refletiu sobre todos os negros espalhados pelo o planeta. E quando mostro que ainda há muito o que se fazer na África do Sul, fico triste principalmente por me colocar no lugar do próprio Mandela.Eu, como mãe de um menino com descendência africana, digo que quando pequenas e não instruídas , as crianças brancas não brincam com as crianças negras no intervalo da escola.E olha que por aqui nunca existiu o apartheid.

ameixa seca disse...

Há pessoas que nasceram para ser grandiosas. Mandela é uma dessas pessoas :)

Zoe disse...

andamos por aqui tão obnubilados com a "asfixia democrática" e com os "atentados" à liberdade de imprensa que acabamos por esquecer o que é verdadeiramente importante!
viva mandela!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Sim, novo blog, já anunciei lá no Rochedo. Chama-se Regra do Jogo e é um blog colectivo.
Bons feriados, ma não me faça inveja(rsrsrs)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ah, esqueci-me! O Sebastião ficou muito ofendido porque o confundiu com a Brites.