4.10.09

Muitas pessoas evitam falar da morte diretamente, confeso que até eu mesma fico procurando outras formas de nomeá-la, como fiz no post abaixo.Mas isso me faz refletir sobre o filme que assisti ontem: A Partida (Departures/ Okuribito), de Yojiro Takita, que recebeu o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2009. A produção japonesa competiu com mais de 60 outros filmes, inclusive o brasileiro última Parada 174. Eu diria que é uma produção corajosa, que enfrenta sem pudores um tema que todos fazemos questão de tentar não comentar. O filme é simples, sem muitos recursos, nem nada de novo, mas é grandioso na sua essência.É muito mais que uma lição sobre o pensar sobre a morte, é uma lição sobre o agir. As reações descritas no filme devem ser vistas sob a ótica oriental, principalmente o que se refere às emoções e sentimentos. É quase poética a forma como nos é apresentado o sentimento reprimido.É possível perceber sem palavras a dificuldade do protagonista para ultrapassar certas barreiras.E as histórias dos personagens paralelos são tb pequenas lições sobre respeito, amor, remorso e preconceito.É um filme muito bonito e ao final dá vontade de quero mais :o)
E o que tem o violoncelo da foto à ver com o filme? Bem...aí é uma outra lição...

2 comentários:

Blondewithaphd disse...

Passei só para dizer que se plantares um marmeleiro, acho que em 3 ou 4 anos estás pronta a fabricar uma bela de uma marmelada:) Vai em frente!

Turmalina disse...

Blonde, já me animou :o)