12.8.09



Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.
.
Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.
.
Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:
.
Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.
W.S.

2 comentários:

luzdeluma disse...

Mensagem perfeita!! Boa semana! Beijus

Veroca disse...

Muito lindo este poema.Os gregos acreditavam que o sol brilhava tanto porque era o único astro que realizava todos os dias uma mandala completa, mergulhando no oceano e se limpando diaramente de todas as mazelas recolhidas do mundo e dos homens em sua passagem, com sua carruagem de fogo por sobre a Terra. Quem dera a gente conseguisse isto ao fim de cada dia também, ne? bj