23.12.05

Eu já estava acompanhando o caso via e-mail e hoje virou capa na página inicial do Terra.

"Asco"por doentes é normal, diz deputada
Conselho confronta deputada que considera repulsa a doentes normal

Segundo a matéria, a deputada Denise Frossard (PPS-RJ) afirma que "a repulsa à doença é instintiva no ser humano", e que "poucas pessoas sentem prazer em apertar a mão de uma pessoa portadora de lepra ou aids". As declarações foram apresentadas no voto de rejeição ao projeto 5.448/2001 e causaram indignação entre os membros do Conade, ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos. O conselho considerou "desvario" um dos trechos do parecer da deputada, o qual afirma que "a deformidade física fere o senso estético do ser humano. A exposição em público de chagas e aleijões produz asco nos outros". Informada sobre a má impressão deixada pelas declarações, Frossard apresentou em sua página pessoal uma carta afirmando que deve "um pedido de desculpas às pessoas que, involuntariamente, terminei por agredir com as palavras que utilizei nos relatórios para identificar um comportamento presente na sociedade brasileira."

"Seus argumentos de que "poucas pessoas sentem prazer em apertar a mão de uma pessoa portadora de lepra ou de Aids'' (DEFNET, 2372, Ano9, dez 2005) são no mínimo fora de qualquer propósito. O ser humano não é mal por natureza como transparece no seu discurso de que "a repulsa a doença é instintiva ao ser humano e que a deformidade fisica fere o senso estético do ser humano...".
Suas palavras ferem tudo pelo qual viemos combatendo há décadas. Não consigo entender e sequer admitir que se coloque a culpa na humanidade pelas barbaridades que vivemos desde o Holocausto e em nossos tempos atuais. A culpa está também nos políticos (parte desta humanidade) que assumem tais princípios de culto ao corpo são e à saúde perfeita mas que foram escolhidos para defender ideais mais nobres de cidadania e de garantias de direitos iguais para todos." Trecho de carta enviada à deputada por Regina Cohen, Núcleo Pró-Acesso - UFRJ

Bem, não é de hoje que as pessoas admitem não suportar conviver com a deformidade alheia.Penso eu que a pessoa que se sente tão mal frente à qualquer tipo de doença ou deformidade, com certeza deve ter uma deformidade ou doença interna. Lá no seu íntimo o que lhe provoca asco é o fato de ter ela mesma alguma deformidade moral ou emocional. Pq as pessoas bem resolvidas vêem nas deformidades uma diferença, mas não um defeito!
Mas de tudo que acontece nesta vida devemos tirar o que tem de positivo.E que a declaração infeliz da deputada sirva para a ampliação da discussão sobre o preconceito e a intolerância!

Como diz meu grande amigo Dr. Jorge Márcio Pereira de Andrade:
"Pelo nosso direito de opinar e discordar de todas posturas eugênicas, racistas, intolerantes, segregatórias e preconceituosas, sejam de majestades, digniníssimos, excelentíssimos ou imperadores, pelo direito de desobedecer e mantermos nossa busca de um País realmente inclusivo, ético, laico, igualitário e que respeita todas as diferenças."

3 comentários:

Cacau disse...

Então rezemos para que, em 2006, essa situação mude.

Feliz Natal, xará.

E um Ano Novo repleto de realizações.

beijos

Nice disse...

Eu confesso ter dificuldade em ir em hospitais com doentes terminais e não me sinto à vontade de trabalhar neste tipo de caridade. Sei que estou errada, mas caso insista em fazer acabo doente e isso prejudica o meu tabralho como voluntária em outra área. Admiro pessoas assim, mas quero que respeitem o meu modo de ser. Se todos fossem iguais a você...que maravilha viver.......
Obrigado pelo carinho deixado no Divagando e Feliz Natal para você todos da sua família. Viva a Internet!!!!!

Mani disse...

Pode até ser que a deputada estivesse dizendo um comportamento que já presenciou...Mas as leis sao feitas para mudar comportamentos assim...beijos